terça-feira, 21 de setembro de 2010

EMPRESÁRIOS SÃO DETIDOS EM AVIÃO ILEGAL COM R$ 60 MIL NO INTERIOR DE SÃO PAULO

O avião, que se preparava para decolar com o dinheiro, foi apreendido pela polícia . Foto: Piton/A Cidade/Futura Press

A Polícia Civil de Jaboticabal, no interior de São Paulo, apreendeu nesta terça-feira um avião monomotor Neiva, modelo EMB 721C, prefixo PT-EGG, durante um pouso e uma tentativa de decolagem sem permissão do aeroporto da cidade. Três homens identificados como empresários estavam a bordo da aeronave, cuja autorização de voo está suspensa a pedido da União. Os três homens, que não tiveram os nomes informados, carregavam quase R$ 60 mil em dinheiro e foram detidos.

O caso vinha sendo investigado há uma semana. O delegado José Carvalho de Araújo Júnior disse que a denúncia era justamente de um avião utilizando a pista de pouso fechada desde setembro de 2009. A suspeita era de crime de contrabando. Hoje, ao fazer a movimentação para decolagem, os policiais civis bloquearam o voo.

A aeronave, segundo a polícia, esteve envolvida em uma condenação da Justiça Federal de contrabando, em 2007. O dinheiro, que não teve a origem informada, estava dentro de uma mala. "Tinha notas variadas, até de R$ 1 e R$ 5. Eles disseram que o dinheiro seria usado para pagar uma parte da compra do avião", afirmou o delegado.

O trio, no entanto, não informou quem negociaria a aeronave. Dois deles têm passagem criminal por porte de entorpecente e uso de documento falso. De acordo com o site da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o avião pertence à empresa Serviço Aéreo Privados, e está "perdido em favor da união". A aeronave, no entanto, tinha autorização de voo com validade até março de 2014.

O delegado afirmou ter ouvido os empresários e os liberado depois. O caso do uso do momotor será apurado pela Anac, pois será preciso descobrir como o avião apreendido estava voando. Uma cópia do Boletim de Ocorrência (BO) foi encaminhada à Polícia Federal (PF) de Ribeirão Preto, assim como o dinheiro apreendido. O avião momotor ficou no aeroporto.

fonte/Terra/foto?piton

TAP TEM 171 CHEFES SÓ EM UM SETOR DA EMPRESA

A TAP tem 171 chefes no ramo do transporte aéreo, quase o triplo da média das empresas públicas, ganhando cada um 4,4 mil euros.

A notícia é avançada hoje pelo jornal ‘i', que cita um documento elaborado pelo Ministério das Obras Públicas em resposta a um requerimento do PSD sobre a falta de transparência das estruturas das empresas públicas.

O diário sublinha que a lista de 171 chefes da TAP não se refere ao grupo todo nem inclui os membros do Conselho de Administração liderado por Fernando Pinto, tendo em conta apenas o ramo do transporte aéreo da empresa - que inclui pilotos, tripulantes e o ramo de Manutenção Portugal.

O número de cargos de chefia da TAP compara com a média de 60 chefes verificada nas empresas públicas - ANA, Naer - Nova Aeroporto, ANAM, REFER, Metro de Lisboa, Carris e STCP.

Conta ainda o ‘i' que os chefes da TAP ganham entre 2,4 mil euros e 8,9 mil euros, o que dá uma média de 4,4 mil euros por dirigente. Contas feitas, a transportadora aérea gasta 748,7 mil euros brutos por mês com os cargos de chefia, o que perfaz 10,5 milhões de euros por ano.

fonte/Economico.Sapo.Pt
Enhanced by Zemanta