sexta-feira, 1 de março de 2013

VÍDEO - IMAGENS DO CEMITÉRIO DE AVIÕES DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL EM KINGMAN ARIZONA, EUA


DRAGON NÃO CONSEGUE LIGAR TRÊS DOS QUATRO MOTORES



Dragon, Espaço,  cientistas, nave espacial

© Flickr.com/brunosan/cc-by

A nave espacial de carga privada Dragon, lançada a partir do cosmódromo de Cabo Canaveral, na Flórida, após ter entrado no espaço, não conseguiu ligar três dos quatro motores.

"A Dragon sofreu problemas com os motores. O sistema de controle parou a ignição de três de seus quatro motores", escreveu Elon Musk, diretor-geral da empresa SpaceX, que desenvolveu a nave espacial, em seu microblog no Twitter.

A bordo da Dragon seguem cerca de 550 quilos de carga, incluindo mais de 300 quilos de equipamento científico.

fonte/VozDaRussia
Enhanced by Zemanta

FALTOU POUCO PARA QUE UM CAÇA DA OTAM ABATESSE BOEING RUSSO


Faltou pouco para que um caça da OTAN abatesse Boeing russo

RIA Novosti

Um caça a jato de combate que no dia 22 de janeiro esteve quase abatendo, no céu afegão, um Boeing-767 russo com cerca de 300 passageiros a  bordo, pertence quase certamente a base aérea da OTAN instalada no Afeganistão.

Segundo a informação divulgada, o caça tinha uma coloração militar parecida com a utilizada pela OTAN. Entretanto, as luzes do avião destinadas a evitar colisões estavam acesas.

A administração da base aérea da OTAN tomou conhecimento da comunicação sobre o incidente e assegurou que iriam tê-la em conta de modo a evitar semelhantes incidentes no futuro.

fonte/VozDaRussia

MÉXICO TENCIONA COMPRAR SUPERJET....




Sukhoi, SuperJet-100, avião, aviação

RIA Novosti

A transportadora aérea mexicana Interjet anunciou a intenção de substituir os Airbus A320 europeus utilizados em voos domésticos por aeronaves Sukhoi Superjet-100 russos.

Na opinião de peritos, outras companhias aéreas internacionais poderão também mudar uma parte de seus parques aéreos, dando preferência a aviões russos. A principal condição consiste em que a parte russa poder garantir uma manutenção rápida e qualitativa.

A Interjet tenciona comprar cerca de 20 Superjet-100. O primeiro lote de oito-nove máquinas chegará ao México no ano em curso, devendo as restantes ser fornecidas em 2014. Como está previsto, o avião russo irá suplantar nos próximos dois anos os A320 em voos curtos e não muito rentáveis. A companhia mexicana espera que a manutenção de Superjet-100 seja menos cara. O avião, embora transporte menos passageiros em comparação com o análogo europeu, consume muito menos combustível. Roman Gusarov, perito do Comité dos Transportes da Duma de Estado, comenta as caraterísticas da aeronave russa:
“A companhia produtora declara boas caraterísticas para aviões desta classe. No caso de elas forem confirmadas na exploração, sua utilização em certos itinerários poderá ser mais rentável em comparação com aviões de produtores ocidentais. O êxito dependerá em primeiro lugar da capacidade da companhia produtora de organizar serviços de manutenção de pós-venda rápidos e qualitativos, fato que impediu a exploração destes aviões pela Aeroflot e levou à recusa a comprá-los pela Armavia”.

Não há quaisquer reclamações em relação ao próprio avião. O diretor-geral da Interjet, José Luis Garza, apontou que a catástrofe do Superjet-100 na Indonésia não foi provocada por falhas técnicas da máquina. Tal é confirmado pelo interesse de clientes estrangeiros em relação ao avião. O Superjet-100 provocou um sério interesse no Sudeste Asiático. Fala Alexei Komarov, perito em aviação:
“A primeira máquina foi fornecida a Laos, que encomendou três aviões e tem uma opção de adquirir mais seis. No fim de fevereiro, foi fornecido o primeiro Superjet à Indonésia, que também tem uma opção de comprar uma quantidade adicional de aviões. Os aviões comerciais da Sukhoi, para além de perspetivas, enfrentam sérios desafios. O primeiro consiste em organizar uma produção destes aviões em quantidade necessária, porque agora os ritmos de sua construção atrasam um pouco das metas planificadas.”

O perito destaca que o êxito do Superjet-100 no mercado internacional dependerá muito da capacidade da companhia de garantir um apoio técnico operacional aos clientes – fornecimento de peças sobressalentes, reparação, preparação do pessoal. Grandes esperanças são depositadas em parceiros italianos (a companhia Alenia Aermacchi é um parceiro estratégico da Sukhoi), que devem assumir a solução destes problemas durante a exploração de aviões no estrangeiro.

fonte/VozDaRussia
Enhanced by Zemanta

HARD LANDING....


REABASTECIMENTO DE UMA ESQUADRILHA DE A-10


MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...