quinta-feira, 6 de novembro de 2014

ACIDENTE COM AVIÃO DE INSTRUÇÃO NA RÚSSIA




Uma câmara no cockpit de um avião de instrução na Rússia captou os momentos finais de um acidente que, infelizmente, tirou a vida ao piloto e feriu gravemente o co-piloto que, neste caso, é o um instrutor.

Os dados disponíveis são poucos, o acidente aconteceu na passada segunda-feira, dia 3 de Novembro, em Vladimir, a cerca de 150 Km da capital da Rússia, Moscovo. Terá acontecido devido a uma aterragem falhada. É possível perceber pelo velocímetro que a aeronave, um ultra-leve Harmony, da construtora polaca Evektor, nunca conseguiu, atingir uma velocidade adequada que lhe permitisse retirar daquela situação.

Acidente Russia 2

A aeronave continuou a perder velocidade e as tentativas de mudança de direção, provavelmente para evitar as copas das árvores, foram ainda mais prejudiciais levando a aeronave a uma fatal perda de sustentação na asa esquerda e consequente acidente.

Publicamos este vídeo, sem qualquer intuito especulativo, ou desrespeitoso em relação às vítimas, para que possamos todos, os nossos leitores, em geral, mas a Comunidade Aeronáutica, em particular, retirar ilações e, se possível, apreender, reforçando a segurança de todos, em situações que nos possam suceder em voo.

fonte//foto/NewsAvia

TRABALHADORES DA EMBRAER ENTRAM EM GREVE

Metalúrgicos da Embraer, em São José dos Campos, decidiram ontem entrar em greve por tempo indeterminado.
A decisão foi tomada em uma assembleia realizada ontem à tarde pelo Sindicato dos Metalúrgicos, durante a troca de turnos na sede da empresa, na avenida Faria Lima, região sudeste.
Segundo o sindicato, pelo menos 1.500 funcionários aderiram à paralisação e não entraram para o trabalho.
A paralisação é resultado da rejeição à proposta de 7,4% de reajuste salarial apresentada pela Embraer e Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), na última rodada de negociação com o sindicato.
A entidade informou que uma nova assembleia será realizada hoje com os trabalhadores do primeiro turno, a partir das 5h30.
De acordo com o sindicato, a Embraer emprega cerca de 13 mil pessoas em São José dos Campos.

Reivindicação. Os metalúrgicos da fabricante de aviões pedem reajuste de ao menos 10% (3,43% de aumento real), congelamento do valor do desconto do convênio médico e estabilidade no emprego.
A Embraer, por decisão própria da empresa, já aplicou aumento salarial de 5,30% a partir de 1° de setembro, a título de antecipação da data-base da categoria.
“A proposta da Embraer está muito abaixo do que foi reivindicado pelos trabalhadores”, disse Herbert Claros, vice-presidente e representante do sindicato junto aos trabalhadores da empresa.
O dirigente informou que ainda ontem iria comunicar oficialmente a decisão da assembleia para a Embraer e também para a Fiesp.

Histórico. Na campanha salarial deste ano, os empregados da companhia já atrasaram a entrada no trabalho e até cruzaram os braços por 24 horas, no último dia 21 de outubro, para pressionar a empresa a negociar com o sindicato.
Durante as negociações, a Embraer chegou a propor reajuste de 6,6%, que foi rejeitada.
Além da Embraer, metalúrgicos de outras cinco fábricas do setor aeronáutico também já rejeitaram a proposta de 7,4%: Latecoere, Graúna, Sobraer, Sopeçaero e Alestis.

Campanha. O sindicato afirma que na campanha salarial deste ano os acordos fechados com empresas de outros setores resultaram na aplicação de um reajuste médio que varia de 9% a 11%.

  Greve
Metalúrgicos da Embraer decidiram ontem entrar em greve por tempo indeterminado

Assembleia
A decisão de paralisar as atividades foi tomada em assembleia realizada na tarde de ontem na sede da empresa pelo Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos

Proposta rejeitada
Os trabalhadores rejeitaram a oferta de reajuste salarial de 7,4% que foi realizada pela empresa e pela Fiesp

Reivindicação
Os metalúrgicos pedem ao menos 10% de aumento, congelamento da cobrança do convênio médico e estabilidade

Reunião
O Sindicato dos Metalúrgicos agendou para hoje de manhã uma nova assembleia com os empregados do primeiro turno



Companhia já fechou acordo na unidade de Botucatu

 
Em nota, a Embraer informou que na unidade da empresa em Botucatu foi celebrado acordo entre a Fiesp e o Sindicato dos Metalúrgicos de Botucatu, que inclui reajuste de 7,4% até R$ 7.518,00 e reajuste fixo de R$ 556,33 a partir deste valor.
Nas unidades de Gavião Peixoto, Sorocaba e Taubaté a Fiesp, em reunião com Sindmetaero e Sindaeroespacial, propôs 7,4% até R$ 10.771,31 e reajuste fixo de R$ 797,08 a partir deste valor, proposta que está em análise pelos sindicatos, segundo a empresa.
“A Embraer confirma seu compromisso com proposta apresentada pela Fiesp para os sindicatos com os quais negociação ainda está em curso e mantém firme determinação de preservar sua capacidade competitiva no cenário global”, diz a nota. “A empresa tem grandes desafios de crescente concorrência em seus mercados, ao mesmo tempo em que implementa significativo plano de investimentos que visa assegurar sua sustentabilidade a médio e longo prazo”.

fonte/OVale

SAAB PROJETA VENDA DE 450 CAÇAS EM 20 ANOS


Funcionários da Saab trabalham na montagem do Gripen. Foto: Sheila Faria Funcionários da Saab trabalham na montagem do Gripen. Foto: Sheila Faria
No grupo dessas 3.000 unidades, o objetivo da Saab é abocanhar de 10% a 15%, em participação conjunta com a Embraer por meio de acordo de parcerias

Nos próximos 20 anos, a empresa sueca Saab prevê mercado de 5.000 caças supersônicos. Desse total, a Saab e a Embraer --que agora são parceiras na produção do caça Gripen NG-- têm condições de disputar 3.000 unidades no mercado mundial, que exclui a Rússia e China.

No grupo dessas 3.000 unidades, o objetivo da Saab é abocanhar de 10% a 15%, em participação conjunta com a Embraer por meio de acordo de parcerias.


A informação foi dada ontem por Jan Germudsson, vice-presidente de parcerias industriais Saab-Aeronáutica, na unidade da empresa sueca em Linköping.


Segundo Germudsson, a projeção se refere a um mercado de US$ 30 a 35 bilhões. Ele disse que a Saab e a Embraer estudam a promoção conjunta para uma parceria estratégica para a venda dos caças no mercado global.


O Gripen NG (New Generation) começa a ser produzido em 2017. A Força Aérea Brasileira começa a receber os caças feitos na Suécia a partir de 2019. O governo brasileiro comprou 36 Gripen NG da Saab, em contrato que prevê transferência de tecnologia.


“Na América Latina, por exemplo, o uso do Gripen NG pela FAB e a parceria da Embraer no projeto podem alavancar o mercado do caça de imediato na América Latina, já que a Argentina manifestou interesse pelo Gripen”, disse Ulf Nilsson, chefe do Gripen na área de aeronáutica.


A Saab tem faturamento anual estimado em US$ 3,2 bilhões. Desse total, Gripen responde por US$ 800 milhões.

Parcerias. Executivos da Saab também confirmaram ontem as principais parceiras do programa Gripen NG, além da Embraer, na questão da transferência de tecnologia.

De São José estão a Akaer, envolvida no projeto de engenharia de estruturas, a Mectron para fornecimento do sistema Datalink do caça e de alguns sensores e a Atech, controlada pela Embraer, com o sistema de suporte em treinamento para o caça.


A Saab possui atualmente 15% da Akaer.


De São Bernardo do Campo há a Imbra, que produzirá partes estruturais. Akaer e Imbra têm parceria para desenvolver parte da fuselagem do Gripen.


A Embraer fará a montagem final e a integração de sistemas em Gavião Peixoto.

Engenheiros. Essas são as principais empresas que devem mandar de 100 a 200 engenheiros para a Suécia para trabalharem no desenvolvimento do Gripen na Saab.

Essa será uma primeira fase do programa. Em uma segunda fase, esse grupo repassaria o conhecimento obtido para equipes no Brasil.


“Estamos muito motivados para receber os engenheiros brasileiros. Nosso pessoal toda hora quer saber quando tudo vai começar a acontecer aqui”, disse ontem ao O VALE Hans Häggrot, diretor de produção da Saab, no hangar onde o Gripen NG vai ser feito.


No local, trabalham 700 pessoas, 500 no chão de fábrica.


fonte/foto/OVale

VCTP ARGENTINO


DOIS PILOTOS BRASILEIROS SÃO ACUSADOS DE VIOLAÇÃO DO ESPAÇO AÉREO NA VENEZUELA

Narcotráfico Zulia Brasileiros

Os pilotos brasileiros Enlil Oliveira da Silva, 48 anos, e Maulos de Paula Balcacar, de 34 anos, serão presentes a Tribunal, acusados de terem violado o espaço aéreo venezuelano a bordo de um avião ligeiro Piper 310, no passado dia 26 de Março, tendo aterrado depois no Aeroporto Miguel Ángel Urdaneta, em Santa Bárbara, Município Colón do Estado Zulia, no Norte da Venezuela.

O jornal ‘El Universal’ que se publica em Caracas, refere que na audiência preliminar de hoje, após conclusão da fase de inquérito do processo, o Ministério Público formalizou a acusação contra os dois pilotos por tráfico de drogas, associação criminosa, interferência na segurança operacional da aviação civil, desvio e obtenção fraudulenta de rotas, alteração de registos individuais de aeronaves e condução ilegal de uma aeronave.

Todos estes delitos estão previstos e sancionados no Código Penal da República Bolivariana da Venezuela. De acordo com o jornal os juízes de instrução validaram a detenção dos dois pilotos brasileiros, agora reclusos numa prisão de El Marite, onde aguardam julgamento.

O jornal venezuelano refere ainda que os dois pilotos viajavam num avião que tinhas uma matrícula falsa, feita com adesivos e colada sobre a verdadeira e que a bordo transportavam um quantidade não revelada de cocaína. Também não possuíam no momento em que foram abordados pelas autoridades venezuelanas quaisquer documentos ou registos que lhes permitisse sobrevoar território da Venezuela.

fonte /foto/NewsAvia

MÍSTERIO REVELADO - ANTOINE SAINT-EXUPÉRY...

Foi um segredo guardado durante 64 anos. Horst Rippert, piloto alemão da Luftwaffe, admitiu, aos 88 anos, ter abatido Antoine de St Exu...