JOÃO BOSCO FERREIRA, MINEIRO DE GOVERNADOR VALADARE, É PREMIADO COMO MELHOR INSTRUTOR DE HELICÓPTERO DO MUNDO


Recompensa veio pela implantação de um método de instrução antes inédito na América Latina, que ensina o piloto a reagir diante de uma situação de emergência.

O reconhecimento por parte de centenas de pilotos alunos da Escola de Aviação Civil (EFAI) já existe há muitos anos. O site da escola está repleto de depoimentos de alunos e ex-alunos que conseguiram contornar situações de emergência graças ao treinamento criado pelo comandante João Bosco Ferreira. Mas somente neste ano, a recompensa pela implantação de um método de instrução antes inédito na América Latina, veio em forma de prêmio.

O vencedor, mineiro, de Governador Valadares, foi eleito instrutor de voo do ano pela Helicopter Association International (HAI).

Bosco foi premiado por desenvolver um método que ensina o piloto a reagir diante de uma situação de emergência a bordo. Ele explica que este tipo de procedimento está previsto nos manuais da aeronáutica, mas que, no Brasil, durante muitos anos, permaneceu a lacuna da prática.

“Em 1997 eu percebi que existia a necessidade de um treinamento específico para procedimentos de emergência. Isso era feito lá fora, mas aqui no Brasil, sempre foi descrito, mas nunca realizado na prática”, explica.

Piloto desde 1972, João Bosco foi membro das Forças Aéreas e diretor da Helibras, onde permaneceu por 14 anos. Em 2003, decidiu fundar a própria escola, a Escola de Aviação Civil Ltda.(EFAI), com sede em Contagem, Região Metropolitana de Belo Horizonte, que tem como principal crença que o nível de segurança de voo das aeronaves dependem da formação inicial do piloto.

Foi a partir da fundação da escola que o comandante passou a fazer o treinamento simulado para pilotos mais antigos, além de formar novos pilotos.

No site oficial da EFAI, há depoimentos emocionantes de alunos e ex-alunos que explicam como o método de Bosco os auxiliou no exercício da profissão e, muitas vezes, ajudou a salvar vidas. É o caso do comandante Renato Ramos, que conta sobre uma pane de motor durante um voo em São Paulo. “A tomada da decisão eu acho que foi fundamental pelo treinamento que a gente fez aqui com o Bosco, na EFAI. Eu optei pela autorrotação, que foi o melhor que eu achei para aquele momento. Executei a mesma, e enfim deu tudo certo. O principal fato que me auxiliou muito foi o psicológico. O treinamento enfatiza demais naquele momento, de você tomar decisão e confiar que você é capaz de fazer o procedimento”, conta.

O prêmio de Instrutor de Voo do Ano será entregue no dia 2 de março de 2016, durante a Hai Heli-Expo, em Louisville, Kentucky, nos Estados Unidos. Para Bosco, a homenagem é gratificante, depois de 35 anos na atividade e quase 18 oferecendo o treinamento para a comunidade.

fonte/foto/EstadoDeMinas

Comentários

Total de visualizações de página

Postagens mais visitadas