Pular para o conteúdo principal

DRONES SÓ PODERÃO VOAR A 30 METROS DE DISTÂNCIAS DAS PESSOAS, SEGUNDO REGULAMENTAÇÃO DA ANAC


drone_pl_mg

Quer pilotar um drone? Então é melhor começar a ir buscar autorização de quem for ficar embaixo dele. A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) quer permitir apenas o voo de drones com os pilotos que tiverem a permissão de quem estiver embaixo da nave em um raio de até 30 m de distância. O que, basicamente, proibiria o uso dos drones em áreas urbanas.

A ANAC abre nesta quinta-feira (3) uma audiência pública para ouvir e discutir ideias que possam melhorar e evoluir a regulamentação.  À Folha de S. Paulo, Marcelo Guaranys, diretor-geral da agência, diz que a proposta é mais dura, mas ela pode ser mudada e amenizada com avisos no local de onde ocorrerá o voo. “Queremos garantir a segurança das pessoas em solo e que essas operações não ofereçam perigos às nossas cabeças”, explica.
A ANAC quer regulamentar o voo para que “a segurança das pessoas possa ser preservada”, como dita o texto:
A proposta de norma tem como premissas viabilizar as operações, desde que a segurança das pessoas possa ser preservada, minimizar ônus administrativos e burocracia, tendo em vista que as regras estarão estabelecidas de acordo com o nível de complexidade e risco envolvido nas operações, e permitir evolução do regulamento conforme o desenvolvimento do setor.
A regulamentação cria duas categorias de uso: recreativo e comercial; e três categorias de equipamentos, classificados por peso e operação comercial:
  • Classe 1 (peso maior que 150 kg) — permite apenas drones certificados pela ANAC e registradas no Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB). Os pilotos destas naves também precisam de Certificado Médico Aeronáutico (CMA), licença, habilitação e todos os voos deverão ser registrados.
  • Classe 2 (peso maior que 25 kg e menor/igual a 150 kg) — Exige CMA licença e habilitação dos pilotos e todos os voo devem ser registrados.
  • Classe 3 (menor/igual a 25 kg) — Não requer CMA e nem registro dos voos, caso o drone opere a até 400 pés (cerca de 120 m). Voos acima desta altura requerem que o piloto tenha licença. Além disso, os voos devem ocorrer a uma distância mínima de 30 m de uma pessoa; para distâncias menores, é necessário autorização dos indivíduos envolvidos.
Será regulamentado também que os pilotos de drone tenham mais de 18 anos e uso de aeromodelos (aeronaves destinadas à recreação) estão isentos de autorização da ANAC, mas ainda deverão respeitar a nova regra de manter a distância mínima de 30 m de pessoas. Defesa civil e segurança pública estão livres de qualquer regulamentação imposta pela agência.
Contribuições à regulamentação podem ser enviadas para o email rpas@anac.gov.br por um mês, até o dia 3 de outubro. Elas serão analisadas pela ANAC até o fim deste ano. Só depois desse processo a regra passará a valer.
E por mais rígida que a regra possa parecer, é sempre bom lembrar que drones podem ser bem perigosos, especialmente quando você é um cantor que costuma agarrar os drones que gravam o seu show. Todo cuidado é pouco para manter o rosto intacto e os dedos no lugar. [Folha via ANAC].

fonte/foto/Gizmodo

Comentários

Adilson Ceschin disse…
BOM DIA
ACHO MUITO BOM ESSAS RECOMENDAÇÕES SOBRE PILOTAGEM DE DRONES, GOSTARIA QUE FOSSEM DIVULGADOS OS LUGARES EM QUE SE PODE VOAR EM CURITIBA E REGIAO METROPOLITANA.
SÓ DESCOBRI UM LOCAL EM PINHAIS PARA VOAR.
NOTE-SE QUE A CLASSE RECREATIVA ESTA MUITYO PREJUDICADA POR FALTA DE LOCAIS.
VASMOS FICAR EM CONTATO
OBRIGADO
ADILSON CESCHIN

Postagens mais visitadas deste blog

AVIÃO COM O SENADOR AÉCIO NEVES FAZ POUSO DE EMERGÊNCIA NO AEROPORTO DE GUARULHOS

Imagem com a aeronave em que estaria Aécio, fora da pista, e que circula na internet
O avião em que estava o senador Aécio Neves (PSDB) precisou fazer um pouso de emergência no aeroporto internacional de Guarulhos na noite de quinta-feira (9), informou sua assessoria de imprensa.
Já era noite quando a aeronave, um táxi aéreo fretado pelo PSDB, saiu de Brasília com destino a São Paulo. Os pilotos, percebendo que um pedaço do pneu havia ficado na pista, teriam solicitado autorização para pousar em Cumbica, ao invés de Congonhas, por ter uma pista maior. Ao aterrissar, no entanto, o trem de pouso teria se quebrado, vindo o avião a sair da pista.
Apenas Aécio e a tripulação estavam a bordo. Segundo a assessoria, nem ele nem os pilotos se feriram.
O senador veio para São Paulo porque tem reunião agendada com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso na manhã desta sexta (10). Apesar do incidente, o encontro foi mantido.
Fernanda Carvalho/O Tempo/Estadão Conteúdo
fonte/foto/UOL

Da…

VÍDEOS DO ACIDENTE COM BOEING 737 DA PERUVIAN AIRLINES EM JAUJA