Pular para o conteúdo principal

SERVIDORES GANHAM ATÉ R$ 11,9 MIL PARA FAZER CHECK-IN PARA DEPUTADOS FEDERAIS

A Câmara conta com cinco funcionários contratados para facilitar a viagem dos 513 deputados federais. Para evitar que os parlamentares enfrentem filas, eventual demora para despachar bagagens ou tenham que chegar com antecedência para o embarque, os servidores recebem salários líquidos que variam de R$ 8,7 mil a R$ 11,9 mil.

Reportagem do jornal Folha de SP informa que os trabalhadores atuam no aeroporto de Brasília, onde a Câmara mantém uma sala vip, na área de embarque, para abrigar os deputados que esperam seus voos. Isso permite que esperem o embarque separadamente dos demais passageiros.

Para usufruir do serviço, basta que o gabinete do deputado contate os funcionários, por telefone ou e-mail, solicitando o check-in. Depois, os servidores confirmam o embarque. Os trabalhadores defendem os altos salários alegando que a função envolve "muita responsabilidade".

A assessoria de imprensa da Câmara informou a Folha de S. Paulo que os servidores são comissionados e trabalham vinculados à diretoria-geral em sistema de escala ao longo da semana, inclusive nos fins de semana.

Na semana passada, veio à tona que serviço semelhante funciona para os senadores, com nove funcionários contratados para fazer check-in e despachar malas dos parlamentares -com remunerações líquidas entre R$ 14 mil e R$ 20 mil.  
 
fonte/FolhaSP/ZeroHora

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

VÍDEOS DO ACIDENTE COM BOEING 737 DA PERUVIAN AIRLINES EM JAUJA

AVIÃO COM O SENADOR AÉCIO NEVES FAZ POUSO DE EMERGÊNCIA NO AEROPORTO DE GUARULHOS

Imagem com a aeronave em que estaria Aécio, fora da pista, e que circula na internet
O avião em que estava o senador Aécio Neves (PSDB) precisou fazer um pouso de emergência no aeroporto internacional de Guarulhos na noite de quinta-feira (9), informou sua assessoria de imprensa.
Já era noite quando a aeronave, um táxi aéreo fretado pelo PSDB, saiu de Brasília com destino a São Paulo. Os pilotos, percebendo que um pedaço do pneu havia ficado na pista, teriam solicitado autorização para pousar em Cumbica, ao invés de Congonhas, por ter uma pista maior. Ao aterrissar, no entanto, o trem de pouso teria se quebrado, vindo o avião a sair da pista.
Apenas Aécio e a tripulação estavam a bordo. Segundo a assessoria, nem ele nem os pilotos se feriram.
O senador veio para São Paulo porque tem reunião agendada com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso na manhã desta sexta (10). Apesar do incidente, o encontro foi mantido.
Fernanda Carvalho/O Tempo/Estadão Conteúdo
fonte/foto/UOL

Da…