sexta-feira, 15 de março de 2013

GOL VAI RECORRER DE MULTA DE R$ 1 MILHÃO POR DEMISSÕES

WebJet Linhas Aéreas
 (Photo credit: Wikipedia)


A companhia aérea Gol anunciou, nesta quinta-feira (15), que vai recorrer de sentença da 23ª Vara do Trabalho do Rio que determina que a empresa a reintegre 850 funcionários demitidos e pague R$ 1 milhão ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). Caso não cumpra a decisão, a empresa terá que pagar, por dia, R$ 1 mil por cada um dos demitidos, também para o fundo. O prazo para recorrer, segundo o Ministério Público do Trabalho do Rio (MPT-RJ), é até a próxima terça-feira (19).
(Correção: na quinta-feira,14, reportagem publicada no G1 errou ao informar que a Gol tinha até terça, dia 19, para recorrer de multas que chegam a R$ 59 milhões. Na verdade, o prazo do dia 19 é para recorrer de uma multa de R$ 1 milhão. )

O MPT considera que a multa diária deveria começar a ser paga desde janeiro, conforme liminar que também cobrava a readmissão dos funcionários. Segundo a promotoria, os funcionários perderam horas de voo por terem sido reintegrados numa empresa em processo de falência, ao invés de serem admitidos na Gol, que acabara de comprar a Webjet.

O MPT moveu a ação, mas ainda não recebeu a sentença. Por considerar "irrisório" o último valor estipulado no tribunal, também deve levar a ação adiante. Caberá ao juiz decidir se as multas, que são pagas ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT)  e não aos demitidos, já devem começar a ser pagas ou se só devem ser cobradas quando alcançada a última instância, no Tribunal Superior do Trabalho (TST).

"Muita água vai rolar debaixo dessa ponte", previu o procurador-geral do trabalho Luís Camargo, em entrevista coletiva nesta quinta.
O principal ponto de crítica do MPT-RJ é pelo fato da empresa não ter cumprido a convenção da classe dos aeronautas, que impõe a demissão em massa como último recurso depois das demissões voluntárias, de aposentados e de funcionários com menos tempo na empresa.

Dispensa coletiva A Gol, entretando informou que, em 27 de dezembro de 2012, a Webjet reintegrou os profissionais e restabeleceu todas as obrigações legais como quitação de salários, recolhimento de impostos e concessão de benefícios. E que, ao longo de dois meses foram realizadas oito reuniões com os sindicatos envolvidos.
A empresa informou ainda que "não tendo havido êxito nas negociações a Webjet desligou, em 1º de março, 748 profissionais que haviam sido reintegrados, sendo que os demais já haviam solicitado desligamento por vontade própria".
Na ação civil pública, o MPT-RJ evidenciou que a empresa não realizou negociação, antes das demissões, com o sindicato da categoria, conforme determina o Tribunal Superior do Trabalho (TST). Além disso, segundo nota da Procuradoria, descumpriu termo firmado com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) na compra da Webjet.
No encerramento das atividades da Webjet, em novembro de 2012, havia 1.400 funcionários na empresa. A Gol havia assumido o compromisso de manter os empregos dos funcionários da Webjet.
Na sentença, a juíza do Trabalho Simone Poubel Lima afirmou que para ser considerada lícita, a dispensa coletiva deve atender a requisitos mínimos, como a apresentação de causas e motivações, econômicas, tecnológicas ou estruturais, que sejam capazes de colocar em risco a existência da empresa.
Ainda de acordo com a decisão, feita essa constatação, deverá haver negociação prévia de como essa dispensa será realizada. A juíza ressaltou ainda que tentativa de negociação após a dispensa dos empregados não torna lícita a dispensa em massa.

FONTE/G1
Enhanced by Zemanta

Nenhum comentário:

EM HOMENAGEM AOS 48 ANOS DA EMBRAER, PILOTOS FAZEM VOO COM TRAÇADO EM FORMA DO LOGOTIPO DA EMPRESA NOS EUA

No aniversário de 48 anos da Embraer, pilotos que faziam um voo teste nos Estados Unidos fizeram uma homenagem traçando no céu a logom...