NÚMERO DE AERONAVES PARTICULARES NO BRASIL CRESCE 4,9% EM 2013


A frota brasileira de aviões privados e helicópteros cresceu 4,9% no ano passado, alcançando 14.648 aeronaves. A taxa mostra um desaquecimento do setor, que cresceu acima de 6% nos últimos dois anos (6,7% em 2012 e 6,4% em 2011). Foram adicionadas 756 aeronaves no ano passado, das quais 283 são novas e 473 usadas.
Os dados constam do Anuário Brasileiro da Aviação Geral 2014, produzido pela Associação Brasileira da Aviação Geral (Abag).
De acordo com o levantamento, a frota da aviação geral é estimada em US$ 12,4 bilhões, número que leva em conta depreciações, valorizações e desvalorizações.
Os aviões particulares movidos a jato representam apenas 5% da frota mas, em termos financeiros, já correspondem a 35% do total.
PIB DO SETOR
A aviação geral (que inclui empresas de táxi aéreo e aeronaves particulares) movimentou R$ 12,5 bilhões no ano passado, número inclui receitas com a fabricação, a operação e a manutenção de aeronaves.
De acordo com o levantamento da Abag, que pela primeira vez fez o cálculo do impacto econômico do setor, para cada R$ 1 movimentado pela aviação geral, R$ 3,71 são adicionados à economia brasileira.
Segundo o diretor-geral da Abag, Ricardo Nogueira, não foi possível calcular a taxa de crescimento do setor pois não há dados históricos. “Só a partir do ano que vem poderemos fazer esse acompanhamento.”
COPA
Mas o ano será afetado pela Copa do Mundo, evento em que se registrou queda no movimento de aeronaves da aviação geral, principalmente em São Paulo.
Conforme Nogueira, é cedo para saber se 2014 será um ano de queda, mas os prejuízos da Copa do Mundo dificilmente serão recuperados até o final do ano. “A Copa paralisou a atividade econômica e o setor em particular. O que se perdeu perdeu. Agora vem eleições, é difícil fazer previsões.”

fonte/DiarioDaManha

Comentários

Total de visualizações de página

Postagens mais visitadas