segunda-feira, 9 de abril de 2012

ALUGUEL DE HANGAR NO CAMPO DE MARTE SOBE POR EXCESSO DE AERONAVES PRIVADAS



Mesmo sem linhas áereas regulares, o Campo de Marte, na Zona Norte de São Paulo, é o quinto maior aeroporto do país em movimento operacional, segundo a Infraero (Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária).

O aeroclube está superlotado de helicópteros e pequenas aeronaves privadas, que representam mais de 60% de sua utilização – superando o número de voos realizados para táxi aéreo, instrução, uso policial e aeromédico e transporte empresarial. Enquanto no local trafegam mais de mil aeronaves diárias, a capacidade fixa de estacionamento é de apenas 534 vagas.

Números da Infraero apontam um crescimento de 30% no fluxo de aeronaves e de 28% no número de passageiros transportados no Campo de Marte entre 2008 e 2011. Só no ano passado, 388,1 mil passageiros e 133.508 aeronaves passaram pelo local.

“A mensalidade que cobramos para hangaragem (guarda) de aeronaves dobrou de 2008 para 2012”, diz Jorge Bittar Neto, dono de dois hangares que abrigam helicópteros e aeronaves no Campo de Marte. “A superlotação existe e a demanda por vagas é grande. Sempre tem proprietário de aeronave buscando um lugar”, acrescenta o empresário, que é dono da empresa Helimarte Táxi Aéreo.

Pelo menos 23 hangares abrigam 317 vagas – outras 217 estão disponíveis no pátio. Além dos helicópteros, modelos de jatos como Cirrus, King Air e Phenom (da Embraer) e monomotores da Cessna e da Beechcraft, como o Bonanza e o Baron, são os mais frequentes na pista, segundo a Infraero. O maior avião em operação no loval tem o porte de um ATR-42, com 19 metros de comprimento e capacidade para 19 ocupantes.

Movimento de aeronaves, em especial monomotores e helicópteros, é intenso no Campo de Marte. A falta de vagas para estacionamento fez o preço do hangar dobrar nos últimos cinco anos (Foto: Tahiane Stochero/G1)

“Eu decidi adquirir a concessão dos hangares porque a minha frota estava aumentando e eu tinha helicópteros espalhados nos hangares dos outros por todo o Campo de Marte. Precisava juntar tudo em só lugar. E percebi que, além de faltar vaga para mim, faltava para os outros”, desabafa Bitar Neto.

A concessão do primeiro hangar foi adquirida em leilão da Infraero em agosto de 2009, e a do segundo hangar, em janeiro deste ano. Neles, estão disponíveis 12 vagas internas e 10 externas para avião e mais 16 internas para helicópteros.

A hangaragem de um jato fica em torno de R$ 18 mil mensais no Campo de Marte, segundo Bitar Neto. Já o estacionamento em uma vaga para monomotor gira em torno de R$ 3 mil a mensalidade. O atendimento avulso, só para desembarque e abastecimento no parque, é de R$ 400. Um pernoite, para decolagem logo na manhã seguinte, custa um pouco mais: cerca de R$ 600.

“A maioria dos meus clientes são executivos, empresários, que viajam a trabalho e têm de chegar a pequenas cidades onde nem sempre há linhas comerciais regulares. O país tem mais de 5,5 mil municípios e só há passagens para cerca de 170 destinos. Este tipo de pessoa não tem tempo para perder em aeroporto, passar em raio-X. A aeronave privada gera comodidade no deslocamento e rapidez”, defende Bitar Neto.

fonte/G1 /foto/Wikipedia
Enhanced by Zemanta

Nenhum comentário:

EM HOMENAGEM AOS 48 ANOS DA EMBRAER, PILOTOS FAZEM VOO COM TRAÇADO EM FORMA DO LOGOTIPO DA EMPRESA NOS EUA

No aniversário de 48 anos da Embraer, pilotos que faziam um voo teste nos Estados Unidos fizeram uma homenagem traçando no céu a logom...