SEM VOOS, AEROPORTO DE SÃO JOSÉ É EXCLUÍDO DA LISTA DO GOVERNO


Área da check-in do Aeroporto de São José. Foto: Alan Collet/O VALE Área da check-in do Aeroporto de São José. Foto: Alan Collet/O VALE

O Aeroporto de São José dos Campos deixou de ser prioritário para receber investimentos do governo federal a partir do ano que vem e pode ainda ser descartado dos planos do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil.

A medida contraria a inclusão do aeródromo em projeto de desenvolvimento da aviação regional lançado pela presidente Dilma Rousseff, no final de 2012.

De uma lista de 270 aeroportos regionais no projeto da petista, que está afastada do cargo, o governo do presidente interino Michel Temer reduziu para 53 aeródromos, que receberão investimentos em 2017.

Outros 123 terminais dependerão de disponibilidade financeira para receber dinheiro do governo. A lista pode ou não incluir o de São José, segundo o Ministério dos Transportes.

Lista negra. Se não incluir, o aeroporto de São José entra numa "lista negra" do governo federal com aeródromos que não têm "viabilidade para entrar na malha regional brasileira".

Tal lista é formada por 94 aeroportos regionais que serão oferecidos para que municípios e estados assumam a administração dos terminais. Questionada, a assessoria do Ministério dos Transportes disse não ter acesso à lista dos aeródromos.

De acordo com a pasta, os critérios para definir a "lista negra" foram proximidade de aeroportos preferenciais, baixa demanda de passageiros e falta de interesse de operação das companhias aéreas.

Com desistência da TAM, o aeroporto de São José não opera voo comercial desde julho deste ano, apenas executivos. Nos últimos oito anos, o aeroporto perdeu voos comerciais de quatro companhias, três delas entre as maiores do país: Gol, OceanAir, Azul e TAM.

O movimento de passageiros caiu 62% entre 2012 e 2016, considerando-se os sete primeiros meses do ano --de 119,5 mil pessoas para 45,4 mil.


Comércio quer defesa do aeródromo


O presidente da ACI (Associação Comercial e Industrial) de São José, Felipe Cury, lamentou a exclusão do aeroporto de São José do radar dos investimentos e disse desconfiar do seu futuro.

Ele irá propor um movimento em defesa do aeródromo e disse que concorda com a substituição da administração federal pela municipal ou estadual. "Seria a solução para São José e poderia melhorar. Mas temos que esperar as eleições. O governo atual não se manifestou", disse.

Em nota, a Prefeitura de São José lembrou que o aeroporto foi ampliado pela Infraero, que é a atual administradora, e disse acreditar que "uma parceria entre o município e a iniciativa privada pode alavancar os voos regionais no terminal e incrementar o transporte de cargas". 


fonte/foto/OVale

Comentários

Total de visualizações de página

Postagens mais visitadas