CARGA HORÁRIA DOS PILOTOS DA EMIRATES SOB SUSPEITA


O regulador para o setor da aviação dos Emiratos Árabes Unidos está a investigar denúncias de antigos e atuais pilotos, sobre alegadas horas de voo não comunicadas na companhia estatal Emirates, o que poderia indiciar excessos de carga horária diária, de acordo com o Wall Street Journal. As novas regras de segurança no cockpit colocam um desafio para a Emirates, a maior companhia aérea do mundo em tráfego internacional.

Ismail Al Balooshi, diretor de segurança na aviação na Autoridade Geral para a Aviação Civil, o regulador do setor nos Emiratos Árabes Unidos, afirmou numa entrevista ao jornal norte-americano, que está a investigar alegadas faltas de reporte de horas de voos dos pilotos, cujos limites foram criados para proteger a sua saúde e a segurança dos voos. A actividade da companhia aérea Emirates está a ser monitorizada de perto e não surgiram queixas significativas sobre segurança, incluindo denúncias anônimas, acrescentou o mesmo responsável.

Em resposta, a Emirates emitiu um comunicado, onde afirma que não compromete a segurança e cumpre totalmente as diretivas do regulador, e que dispõe de procedimentos “pró-activos” para a gestão de fadiga. A companhia reconhece a existência de descontentamento entre os seus mais de 3.700 pilotos, atribuído a uma “minoria vocal”, a quem apela para entrar em contacto com a administração, através de um fórum aberto aos comentários dos pilotos.

fonte/NewsAvia

Comentários

Total de visualizações de página

Postagens mais visitadas