sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

HELICÓPTEROS RUSSOS COM SOTAQUE ANGLO-ITALIANO







AgustaWestland AW-139 AW 139, helicóptero

© Flickr.com/Thundershead/cc-by-nc-sa 3.0

O Ministério da Defesa russo planeja receber em 2013 sete helicópteros AW-139, o preço do contrato é de pouco mais de 20 milhões de dólares. Os helicópteros anglo-italianos, montados sob licença na Rússia, serão os primeiros helicópteros de projeto estrangeiro colocado em serviço na Rússia.

Na Rússia sempre houve escassez de helicópteros ligeiros, que incluem o AW-139. Na URSS, a posição de monopólio neste nicho era ocupada pelo Mi-1, que foi produzido entre 1950 e 1965, e seu sucessor, o Mi-2, que foi produzido em série desde 1965 até 1998. No entanto, o principal produtor de máquinas ligeiras de projeto soviético era a Polônia – a licença e a documentação do projeto eram entregues à companhia PZL-Swidnik. Na década de 90, após o colapso do Pacto de Varsóvia e da União Soviética, a cooperação com os fabricantes de helicópteros poloneses cessou, e na Rússia começaram a desenvolver suas próprias máquinas desta classe.

Todos os projetos – o Mi-34, o Ansat, o Ka-60 – têm uma coisa em comum: a ausência de um motor moderno de classe ligeira de produção doméstica. Como resultado, nenhuma dessas opções chegou a ser produzida em série. O programa Mi-34, aparentemente, será fechado. O Ansat, em pequenas séries, está sendo construído sob encomenda do Ministério da Defesa com um motor estrangeiro. A máquina de Kamov passou por uma mudança radical, tornando-se o Ka-62, que é semelhante ao Ka-60 só em linhas e no esquema que utiliza um rotor de cauda do tipo Fenestron.

O Ka-62 é considerado uma máquina bastante promissora. Ele já tem o primeiro contrato de exportação – nos anos de 2015-16 sete helicópteros deste tipo irão para o Brasil. Nele está interessado também o exército russo. No entanto, o primeiro voo da nova máquina ocorrerá somente em agosto e setembro de 2013, após o qual começarão testes de máquinas de pré-produção.

Como resultado, a construção em Tomilino, perto de Moscou, do empreendimento comum Helivert, criado pela empresa Helicópteros da Rússia e a empresa AugustaWestland, foi uma resposta natural às necessidades do mercado. Caso contrário, ele teria de ser entregue completamente aos produtores estrangeiros.

Os primeiros AW-139 no exército russo serão destinados para o transporte de comandantes. Mas em teoria, o campo de utilização de máquinas ligeiras pode ser mais amplo, incluindo a inteligência, o transporte de cargas leves, transporte e ejeção de unidades de forças especiais, missões sanitárias e de resgate, e muito mais. Para esses fins atualmente é usado o helicóptero Mi-8 no valor de 7-10 milhões de dólares, um peso de decolagem de 13 toneladas, e com a respectiva potência do motor e correspondente consumo de combustível. Nesta situação, o uso de AW-139 e a perspectiva de produção nas instalações de Helivert de um helicóptero monomotor ligeiro especialmente concebido para a Rússia pode ser a melhor solução. Ele irá preencher a falta de máquinas ligeiras, a demanda pelas quais, nos próximos anos, vai continuar a crescer.

fonte/VozDaRussia

Nenhum comentário:

EM HOMENAGEM AOS 48 ANOS DA EMBRAER, PILOTOS FAZEM VOO COM TRAÇADO EM FORMA DO LOGOTIPO DA EMPRESA NOS EUA

No aniversário de 48 anos da Embraer, pilotos que faziam um voo teste nos Estados Unidos fizeram uma homenagem traçando no céu a logom...