Pular para o conteúdo principal

HELICÓPTEROS PARA ÍNDIA NO VALOR DE US$ 6 BILHÕES

helicóptero

RIA Novosti

A Índia está fazendo preparativos para convocar a maior licitação do mundo para comprar helicópteros multifuncionais de baseamento naval no valor de mais de 6 bilhões de dólares, informa a imprensa indiana alegando a fontes dentro da Marinha de Guerra do país.

Apesar de a Rússia ainda não ter anunciado seus planos concernentes à participação da concorrência, os peritos estão seguros que tem boas chances para ganhar.

De acordo com a mídia, as Forças Navais da Índia já haviam encaminhado cartas aos maiores produtores mundiais solicitando que proporcionassem caraterísticas técnicas dos helicópteros desse tipo. O passo seguinte será o de examinar as proposições concretas de fornecimento do material bélico. No total, os militares indianos planejam comprar 120 helicópteros navais mais modernos, destinados a operações contra submarinos, aniquilação de alvos submarinos e de superfície, bem como a apoiar operações de tropas especiais. Espera-se que da concorrência vão participar os maiores produtores mundiais de helicópteros, como Eurocopter e Sikorsky.

Ainda não se sabe nada sobre as intenções da Rosoboronexport (agência russa de exportação de armas) de lutar por este contrato vantajoso. Entretanto, a Rússia tem muito para oferecer a seu parceiro tradicional no âmbito de cooperação técnico-militar. Por exemplo, helicópteros da empresa Kamov, afirmou o membro do conselho consultivo adjunto à comissão para indústria bélica do governo russo Mikhail Khodarenok.

“Trata-se de distintas modificações do Ka-27 e do Ka-52 concebido para pousar a bordo de navios. Ainda é difícil avaliar quantitativamente suas chances. Mas a parte russa, é incontestável, deverá participar desta licitação, pois as chances sim existem”.

Atualmente, a Marinha de Guerra da Índia utilizam helicópteros antiquados Sea King adquiridos na década de 1980. Portanto, a renovação da frota de helicópteros é uma das tarefas mais prementes. Ainda mais porquê Nova Deli pretende aumentar o número de navios de guerra, alargando de tal maneira a área de responsabilidade de sua Marinha.

Devido à modernização e o incremento do potencial defensivo da Índia, vai crescendo a competição por este maior mercado de armas. Segundo a opinião do embaixador indiano em Moscou, Ajai Malhotra, a Rússia defronta-se com uma concorrência dura por parte dos produtores de outros países. Ultimamente, ela perdeu algumas licitações. Não obstante, a cooperação militar segue sendo um dos vetores mais importantes da parceria estratégica russo-indiana. Nova Deli continúa considerando a Rússia como um dos fornecedores mais seguros, cujos produtos satisfazem as necessidades defensivas da Índia.

As forças armadas do país utilizam centenas de helicópteros e aviões, submarinos e outro material bélico moderno de fabricação russa. Há pouco, Moscou e Nova Deli assinaram contratos de fornecimento de helicópteros Mi-17V-5 e jogos de peças para produção de aviões Su-30MKI no valor de quase 3 bilhões de dólares. Antes disso, a Índia adquiriu 230 caças dessa modificação no valor total de 8,5 bilhões. De forma que as perspectivas são bastante impressionantes para ambas as partes, acha o redator-chefe da revista “Arsenal Otetchestva” (Arsenal da Pátria) Viktor Murakhovski.

“Nós estamos passando para novas formas de parceria técnico-militar: a co-produção e acordos de compensação que prevêem a transferência de tecnologias para produção de certos modelos de armamentos e tipos de munições. Isto é bem diferente do sistema comum de compra e venda. Ainda não temos experiência de cooperação desta índole com nenhum outro país”.

Uma das linhas mestre, segundo as duas partes, é a promoção de desenvolvimentos conjuntos. Já há 15 anos está funcionando com sucesso a empresa russo-indiana BrahMos que fabrica mísseis supersônicos do mesmo nome. Se planeja transpôr a experiência deste projeto para os ramos contíguos. Tem merecido avaliação positiva a prática de modernização de navios militares indianos em estaleiros russos. Assim, no último dia 29 de janeiro, o submarino indiano Sindhurakshak, após ser submetido à modernização e o reequipamento na empresa de Severodvinsk, tomou rumo à costa pátria através da Passagem do Nordeste, acompanhado por quebra-gelos russos.

fonte/VozDaRussia

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AVIÃO COM O SENADOR AÉCIO NEVES FAZ POUSO DE EMERGÊNCIA NO AEROPORTO DE GUARULHOS

Imagem com a aeronave em que estaria Aécio, fora da pista, e que circula na internet
O avião em que estava o senador Aécio Neves (PSDB) precisou fazer um pouso de emergência no aeroporto internacional de Guarulhos na noite de quinta-feira (9), informou sua assessoria de imprensa.
Já era noite quando a aeronave, um táxi aéreo fretado pelo PSDB, saiu de Brasília com destino a São Paulo. Os pilotos, percebendo que um pedaço do pneu havia ficado na pista, teriam solicitado autorização para pousar em Cumbica, ao invés de Congonhas, por ter uma pista maior. Ao aterrissar, no entanto, o trem de pouso teria se quebrado, vindo o avião a sair da pista.
Apenas Aécio e a tripulação estavam a bordo. Segundo a assessoria, nem ele nem os pilotos se feriram.
O senador veio para São Paulo porque tem reunião agendada com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso na manhã desta sexta (10). Apesar do incidente, o encontro foi mantido.
Fernanda Carvalho/O Tempo/Estadão Conteúdo
fonte/foto/UOL

Da…

VÍDEOS DO ACIDENTE COM BOEING 737 DA PERUVIAN AIRLINES EM JAUJA