Pular para o conteúdo principal

GOVERNO DO RIO GRANDE DO SUL REESTRUTURA SERVIÇO AEROMÉDICO

Estado reestrutura serviço aeromédico  Secretaria Estadual da Saúde/Divulgação















Foto: Secretaria Estadual da Saúde / Divulgação

Dois meses após a polêmica envolvendo a possível suspensão do atendimento aeromédico, a Secretaria Estadual da Saúde (SES) deu largada na reestruturação do serviço que há dois anos vinha sendo prestado por meio de um convênio entre Samu, Brigada Militar e prefeitura de Imbé. A pasta substituiu o grupo terceirizado que atuava nas missões de resgate e salvamento e está capacitando profissionais do seu quadro para a função. 
No fim de janeiro, em entrevista a ZH, o secretário da Saúde, João Gabbardo, afirmou que o serviço aeromédico era "totalmente dispensável" e que, por essa razão, seria desativado. A repercussão negativa gerada pela notícia fez o governo recuar na decisão. Um dia depois da publicação da matéria, o secretário disse que o atendimento seria mantido, mas com outra equipe formada por servidores da própria secretaria.
A primeira etapa do treinamento dos servidores, que se estende até julho, foi concluída na semana passada. Desta forma, a nova equipe formada por 10 médicos e 10 enfermeiros já está apta para voar, mas a Secretaria da Saúde não informou quando isso deve ocorrer. Desde o último dia 15 de março, quando o convênio com a prefeitura de Imbé foi rompido, dois grupos compostos por pilotos da BM e socorristas (dois médicos e dois enfermeiros) são os responsáveis pelo serviço aeromédico.
Uma das duas aeronaves adquiridas no governo Tarso Genro, ao custo total de R$ 26 milhões, está parada no hangar da BM no Salgado Filho desde o início de fevereiro. Em nota, a Secretaria da Saúde informou que processo de regularização da aeronave junto à Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) deve durar cerca de 90 dias. Hoje, o resgate é feito por um helicóptero da Brigada. A outra aeronave adquirida ainda não foi entregue ao Estado. 
Em 2014, o Ministério Público de Contas questionou no Tribunal de Contas do Estado (TCE) a compra dos dois helicópteros. O órgão viu indícios de possível direcionamento na licitação, por meio de exigências no edital, e de possível desvio de finalidade das aeronaves. Apesar de adquiridas com verba da saúde, as aeronaves deveriam também realizar missões como "combate a incêndio e ações de defesa civil", conforme a licitação. O edital chegou a ser suspenso, mas a medida cautelar foi derrubada pelo Tribunal de Justiça, e a compra prosseguiu. O processo, no entanto, ainda tramita no TCE. 
fonte/ZeroHora/foto/Divulgação

    Comentários

    Postagens mais visitadas deste blog

    AVIÃO COM O SENADOR AÉCIO NEVES FAZ POUSO DE EMERGÊNCIA NO AEROPORTO DE GUARULHOS

    Imagem com a aeronave em que estaria Aécio, fora da pista, e que circula na internet
    O avião em que estava o senador Aécio Neves (PSDB) precisou fazer um pouso de emergência no aeroporto internacional de Guarulhos na noite de quinta-feira (9), informou sua assessoria de imprensa.
    Já era noite quando a aeronave, um táxi aéreo fretado pelo PSDB, saiu de Brasília com destino a São Paulo. Os pilotos, percebendo que um pedaço do pneu havia ficado na pista, teriam solicitado autorização para pousar em Cumbica, ao invés de Congonhas, por ter uma pista maior. Ao aterrissar, no entanto, o trem de pouso teria se quebrado, vindo o avião a sair da pista.
    Apenas Aécio e a tripulação estavam a bordo. Segundo a assessoria, nem ele nem os pilotos se feriram.
    O senador veio para São Paulo porque tem reunião agendada com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso na manhã desta sexta (10). Apesar do incidente, o encontro foi mantido.
    Fernanda Carvalho/O Tempo/Estadão Conteúdo
    fonte/foto/UOL

    Da…

    VÍDEOS DO ACIDENTE COM BOEING 737 DA PERUVIAN AIRLINES EM JAUJA