Pular para o conteúdo principal

REGIÃO METROPOLITANA DO VALE DO PARAÍBA VAI SEDIAR UNIDADE DA FÁBRICA DE HELICÓPTEROS SIKORSKY

Com dois trunfos de peso, São José e Taubaté disputam as atenções da empresa norte-americana Sikorsky Aircraft Corporation, fabricante dos helicópteros mais conceituados do mundo, que vai instalar unidade no Brasil e já escolheu fincar o pé no Vale do Paraíba.

A empresa quer instalar, já em 2016, um centro de manutenção de helicópteros para ampliar seus negócios no país e, no futuro, planeja ter uma fábrica de helicópteros na região. Há oferta das duas prefeituras e interesses nas duas cidades.
“A América Latina é muito importante em nossa estratégia de desenvolvimento, e queremos que o Brasil seja a nossa âncora. Existe aqui um potencial de mercado considerável. Não queremos apenas trazer helicópteros para o Brasil, mas contribuir com o desenvolvimento da indústria aeronáutica do país”, disse Antonio Pugas, vice-presidente da Sikorsky para a América Latina.

A frota da Sikorsky no Brasil é de 160 helicópteros (veja quadro). Além do uso militar, a Petrobras também é uma das grandes clientes no país.
Há possibilidade de novas vendas para as Forças Armadas dos modelos BlackHawk e SeaHawk, mais indicados para modernizar a frota brasileira. Mas segundo a Copac (Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate), não há nenhuma informação nesse sentido por enquanto.

São José. No início de fevereiro, a Sikorsky assinou parceria com o ITA, em São José, para a criação de uma disciplina de desenho de asas rotativas (helicóptero) no curso de engenharia aeronáutica do instituto.
O objetivo é criar uma nova geração de engenheiros de helicópteros no Brasil.

“Engenheiros da Sikorsky virão ao ITA para auxiliar no projeto conceitual de helicópteros que os alunos farão nos cursos de graduação”, disse Bento Silva de Mattos, coordenador técnico do projeto no ITA. A parceria inclui a criação de um laboratório que contará com simulador de helicópteros, inteiramente especificado pelo ITA, que deverá ser baseado no Sikorsky S76C.

De olho no filão --o centro de manutenção prevê investimento de US$ 20 milhões e a futura fábrica, US$ 150 milhões-- a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia de São José ofereceu área à Sikorsky no Parque Tecnológico, de 130 mil metros quadrados.
“São José oferece um ambiente competitivo referência na América Latina e com uma política de suporte forte”, disse o secretário Sebastião Cavali, que levou executivos da

Taubaté. Taubaté saiu na frente e informa que aguarda documentos da Sikorsky para as negociações. Por ter uma unidade do Cavex (Comando de Aviação do Exército), o município leva vantagem.
A área disponibilizada para a empresa norte-americana será o prédio de uma fábrica desativada, no Distrito Industrial do Una 1.

Segundo o gerente do Grupo Executivo Industrial de Taubaté, Gutemberg Ramos, o prédio pode servir para o centro de manutenção e também futuramente para a fábrica de helicópteros. “A Sikorsky está em fase de tratativas com Taubaté e estamos aguardando a sua documentação. A instalação da empresa será importante para a inovação da atividade econômica, gerando emprego, tecnologia e desenvolvimento econômico para Taubaté”.

arte_helicoptero

Empresa prevê crescimento do mercado no Brasil
Da Redação

O primeiro passo para a Sikorsky se fixar no Brasil acontece até agosto, com a abertura de um escritório na região de Campinas, onde o grupo United Technologies, holding da qual a Sikorsky faz parte, já tem unidades.

No Vale, o local para o centro de manutenção e futura fábrica ainda não foi definido. “Estamos em negociações, mais avançadas em Taubaté, mas ainda não fechamos nada”, disse Antonio Pugas, vice-presidente da Sikorsky para a América Latina.


Em razão da frota no Brasil e da possibilidade de novos contratos, a Sikorsky precisa de uma unidade para pós-venda, reparo e manutenção.


A manutenção dos helicópteros da Sikorsky atualmente é feita em parte pelos operadores e peças são enviadas aos Estados Unidos.
“Considerando o tamanho do Brasil, costeira, fronteiras, mata amazônica e necessidades que o BlackHawk é melhor posicionado para a missão, estimamos a necessidade entre 70 a 90 novos helicópteros para modernização das três Forças Armadas, os quais poderíamos produzir no Brasil, gerando empregos, trazendo tecnologia e concorrência para produtores locais”, disse Pugas a O VALE.


Os números são estimativa da empresa. As Forças Armadas não comentam. Mas caso as encomendas se confirmem, a Sikorsky vai ter mão de obra capacitada e estrutura de produção no Brasil.


fonte/foto/OVale

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AVIÃO COM O SENADOR AÉCIO NEVES FAZ POUSO DE EMERGÊNCIA NO AEROPORTO DE GUARULHOS

Imagem com a aeronave em que estaria Aécio, fora da pista, e que circula na internet
O avião em que estava o senador Aécio Neves (PSDB) precisou fazer um pouso de emergência no aeroporto internacional de Guarulhos na noite de quinta-feira (9), informou sua assessoria de imprensa.
Já era noite quando a aeronave, um táxi aéreo fretado pelo PSDB, saiu de Brasília com destino a São Paulo. Os pilotos, percebendo que um pedaço do pneu havia ficado na pista, teriam solicitado autorização para pousar em Cumbica, ao invés de Congonhas, por ter uma pista maior. Ao aterrissar, no entanto, o trem de pouso teria se quebrado, vindo o avião a sair da pista.
Apenas Aécio e a tripulação estavam a bordo. Segundo a assessoria, nem ele nem os pilotos se feriram.
O senador veio para São Paulo porque tem reunião agendada com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso na manhã desta sexta (10). Apesar do incidente, o encontro foi mantido.
Fernanda Carvalho/O Tempo/Estadão Conteúdo
fonte/foto/UOL

Da…

VÍDEOS DO ACIDENTE COM BOEING 737 DA PERUVIAN AIRLINES EM JAUJA