Pular para o conteúdo principal

MPF QUER MAIS CONTROLE SOBRE O TRÁFEGO DE HELICÓPTEROS NA ORLA DO RIO DE JANEIRO


O tráfego aéreo dos helicópteros que sobrevoam as praias da cidade do Rio de Janeiro, fazendo a chamada Rota Praia, poderá sofrer alterações para garantir maior segurança a moradores, trabalhadores, banhistas e à tripulação. A recomendação para que o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), vinculado ao Comando da Aeronáutica, revise as atuais normas e aumente a fiscalização foi solicitada hoje (9) pelo Ministério Público Federal (MPF) no Rio de Janeiro.

Na recomendação, o procurador da República Renato de Freitas Souza Machado pediu ao Decea que as aeronaves se afastem mais das faixas de areia das praias do Arpoador, Ipanema e Leblon e que a altura mínima de voo seja aumentada. O procurador cita a comunidade do Vidigal, onde os helicópteros fazem sobrevoos muito baixos, “expondo os moradores a risco de acidentes e a tripulação a possíveis ações de organizações criminosas que ainda habitam a comunidade, apesar da pacificação”.

O procurador lembrou uma diligência conjunta do Ministério Público Federal e da Força Aeronaval da Marinha, em março deste ano, quando verificou-se que o atual traçado de sobrevoo nas praias da Barra da Tijuca, Arpoador, Ipanema e do Leblon passa sobre a faixa de areia, próximo dos prédios localizados na orla.

Outro ponto destacado é a altura mínima estabelecida para o tráfego, atualmente de 500 pés. Conforme o documento do MPF, isto "se mostrou inadequado, dado que, em caso de mau funcionamento das aeronaves, o mais correto seria a eventual queda ou pouso de emergência ocorrer no mar, evitando acidentes graves no solo".

Em resposta às recomendações, o Decea se comprometeu a viabilizar estudos e acatar as propostas tecnicamente viáveis.

fonte/AgBrasil

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AVIÃO COM O SENADOR AÉCIO NEVES FAZ POUSO DE EMERGÊNCIA NO AEROPORTO DE GUARULHOS

Imagem com a aeronave em que estaria Aécio, fora da pista, e que circula na internet
O avião em que estava o senador Aécio Neves (PSDB) precisou fazer um pouso de emergência no aeroporto internacional de Guarulhos na noite de quinta-feira (9), informou sua assessoria de imprensa.
Já era noite quando a aeronave, um táxi aéreo fretado pelo PSDB, saiu de Brasília com destino a São Paulo. Os pilotos, percebendo que um pedaço do pneu havia ficado na pista, teriam solicitado autorização para pousar em Cumbica, ao invés de Congonhas, por ter uma pista maior. Ao aterrissar, no entanto, o trem de pouso teria se quebrado, vindo o avião a sair da pista.
Apenas Aécio e a tripulação estavam a bordo. Segundo a assessoria, nem ele nem os pilotos se feriram.
O senador veio para São Paulo porque tem reunião agendada com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso na manhã desta sexta (10). Apesar do incidente, o encontro foi mantido.
Fernanda Carvalho/O Tempo/Estadão Conteúdo
fonte/foto/UOL

Da…

VÍDEOS DO ACIDENTE COM BOEING 737 DA PERUVIAN AIRLINES EM JAUJA