EMBRAER ACEITA 1.463 ADESÕES AO PDV



Embraer (Foto: Divulgação/Embraer) 
 (Foto: Divulgação/Embraer)

A EMBRAER informou nesta segunda (26) que aceitou 99,5% dos 1.470 pedidos de adesão ao Programa de Demissão Voluntária (PDV) nas unidades que a fabricante de aviões tem no país. Somente sete pedidos de adesão ao programa foram negados pela empresa.

De acordo com a fabricante brasileira de aeronaves, os desligamentos dos aprovados serão feitos na primeira semana de outubro. A avaliação individual dos pedidos foi encerrada na última sexta (23). A empresa não informou a quantidade de pedidos por unidade no Brasil

O pacote para os dispensados oferece, além do pagamento rescisório, indenização de 40% do salário nominal proporcional ao tempo de empresa, direito a seis meses de plano de saúde e odontológico, e apoio em programas de palestras e workhops de qualificação.

Em nota, a Embraer informou que além do PDV, outras ações com o objetivo de reduzir despesas da companhia seguem sendo implantadas e seus impactos só serão dimensionados ao longo dos próximos meses. A meta é cortar cerca de US$ 200 milhões em custos ao ano.

A empresa não revelou se o número de adesões ao PDV atingiu a meta, nem o motivo de ter recusado o pedido de sete funcionários. O programa foi aberto dia 23 de agosto em todas as unidades da empresa no Brasil e terminou em 14 de setembro .

Números
Segundo o Sindicatos dos Metalúrgicos, que representa os trabalhadores em São José dos Campos, onde é a sede da empresa, foram pelo menos 600 adesões ao PDV na unidade.

Nas fábricas e subsidiárias, como a Eleb, que mantém no Brasil e no exterior, a Embraer tem atualmente cerca 19 mil empregados - sendo 13 mil em São José dos Campos. As fábricas no Brasil ficam, além de duas em São José, também em Taubaté, Sorocaba, Botucatu e Gavião Peixoto.

Sindicato
O Sindicato dos Metalúrgicos mantém o posicionamento contrário ao PDV na Embraer. "Para nós, PDV é demissão. A Embraer aplicou e nós continuamos denunciando, é uma economia para pagar a corrupção pelo qual eles estão respondendo nos Estados Unidos", disse Herbert Claros, diretor da entidade.

O sindicato considera que o valor projetado para corte das despesas é o mesmo de uma possível multa referente a um caso de propina investigado pelo Ministério Público Federal do Rio de Janeiro (MPF) e denunciado em 2010 pelo Departamento de Justiça do governo dos Estados Unidos.
Um depoimento de um gerente da companhia revelou que a cúpula da empresa teria autorizado o pagamento de propina a uma autoridade da República Dominicana para garantir a venda de oito aviões Super Tucano ao país. A empresa nega a relação entre a redução de despesas e a multa.

Crise
No último trimestre, a EMBRAER sofreu prejuízo de R$ 337,3 milhões, revertendo resultado positivo, de R$ 399,6 milhões obtidos no mesmo período do ano passado. A companhia também cortou estimativas para entregas de aviões executivos e comerciais.

Com isso, a projeção de receitas líquidas neste ano teve queda para o intervalo de US$ 1,6 bilhão a US$ 1,75 bilhão ante previsão anterior de US$ 1,75 bilhão a US$ 1,9 bilhão. Nos últimos seis meses, o consumo de caixa da companhia foi de US$ 600 milhões.

fonte/foto/G1

Comentários

Total de visualizações de página

Postagens mais visitadas