F-16 REQUISITADO PARA SALVAR DOENTE



O caso, ocorrido a 4 de abril, envolveu um paciente que necessitava de uma técnica de suporte vital de último recurso designada oxigenação por membrana extracorporal, conhecida pelo acrónimo ECMO, do inglês "extracorporeal membrane oxygenation".

O hospital em causa, situado em Bodo, no centro da Noruega, não tinha o equipamento para realizar aquele procedimento, mas outro hospital, em Trondheim, 450 quilómetros a sul do primeiro, dispunha da máquina, uma espécie de pulmão artificial.

O hospital de Trondheim contactou então a força aérea pedindo ajuda para levar o equipamento e, segundo as notícias, o pedido chegou numa altura em que dois caças F-16 se preparavam para descolar de uma base aérea próxima.
"Não fizeram perguntas, apenas quiseram saber o tamanho da máquina", disse à imprensa o diretor da unidade de anestesia do hospital de Trondheim, Anders Wetting Carlsen.

Um dos F-16 que estavam próximos tinha um compartimento de carga externo que permitiu transportar o equipamento até Bodo.

"Normalmente fazemos essa distância em 35 minutos, mas dada a natureza especial da carga, o piloto acelerou e chegou ao destino em menos de 25 minutos", disse o chefe da esquadra, Borge Kleppe, ao diário Verdens Gang.

 fonte/foto/JN.pt

Comentários

Total de visualizações de página

Postagens mais visitadas