Pular para o conteúdo principal

TECNOLOGIA DESENVOLVIDA EM SÃO JOSÉ VIRA ALIADA DOS PILOTOS DA ESQUADRILHA DA FUMAÇA

Avião da Esquadrilha da Fumaça em apresentação. Foto: Divulgação Avião da Esquadrilha da Fumaça em apresentação. Foto: Divulgação
Super Tucanos utilizados pelo esquadrão de elite da Força Aérea Brasileira têm capacidade de armazenar dados dos voos e reproduzi-los em 3D

Instalada nos A-29 Super Tucanos, uma ferramenta tecnológica desenvolvida em São José dos Campos tornou-se aliada dos pilotos da Esquadrilha da Fumaça para a realização de missões e manobras acrobáticas.
Trata-se do PMA (Planejamento de Missões Aéreas), sistema criado no IEAV (Instituto de Estudos Avançados), localizado no DCTA (Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial).
A tecnologia serve para economizar tempo, recursos e colaborar com a segurança em voo. "O software PMA serve para planejar a missão. Antes disto, era preciso cortar mapas, a gente fazia tudo no braço", disse o tenente-coronel Flavio Petersen Junior, um dos quatro militares que trabalham no desenvolvimento do software, ao lado de um civil.
"Hoje o Super Tucano e o F-5 modernizado gravam os dados automaticamente. A gente pega os dados e coloca no PMA para tocar o voo. Podemos avançar, voltar, aumentar ou baixar a velocidade."
O PMA permite visualizar os dados em 2D, em que é possível ver o voo com as referências no solo, e em 3D.
No caso da Esquadrilha da Fumaça, o PMA é empregado para avaliar a precisão das acrobacias e o efeito visual.
“O trabalho que eu levava um dia para concluir, traçando mapas, proas e consumo de combustível, agora consigo fazer um uma hora. Isso sem dizer o ganho de confiabilidade”, disse o primeiro tenente Nilson Rafael Oliveira Gasparelo, ala esquerda externa da esquadrilha e chefe da Subseção de Navegação.

Treino. Segundo Gasparelo, um vídeo com a reprodução em 3D do voo e manobras das sete aeronaves que integram a equipe foi elaborado para o aprendizado dos novos alunos do EDA (Esquadrão de Demonstração Aérea), nome oficial da esquadrilha.
"Com a reprodução em 3D, o piloto consegue refazer o voo virtualmente o que lhe permite lembrar os acontecimentos com mais detalhes para tirar as lições de aprendizado.
Para Gasparelo, o PMA também permitirá a elaboração de novas manobras e a possibilidade de redução das distâncias de forma segura.
“Poderemos adiantar posicionamentos, tendo exatamente a distância entre as aeronaves e conferindo as defasagens. ´Também temos a possibilidade de verificar as manobras da perspectiva de cada piloto e do público.”
A versão 2.0 do PMA foi entregue em 2009. Atualmente, os militares da Força Aérea utilizam a versão 2.8. A cada seis meses acontece uma atualização do sistema. Em novembro, a versão 2.9 deve ficar pronta.
 
Equipe
Formação conta com sete aviões
Cada apresentação da Esquadrilha da Fumaça é realizada por sete A-29 Super Tucano. Para cada uma das posições na Esquadrilha – líder, ala direita, ala esquerda, ferrolho, ala direita externa, ala esquerda externa e isolado – há dois aviadores responsáveis que se revezam a cada demonstração. O suporte de solo é feito pelos “anjos da guarda”.


Retorno
Apresentações são retomadas
Depois de um intervalo de dois anos, a Esquadrilha da Fumaça voltou a encantar o público no dia 3 de julho. A apresentação ocorreu durante a cerimônia de entrega de espadins para os estudantes da AFA (Academia da Força Aérea), em Pirassununga. O tempo foi necessário para a substituição das aeronaves. Saem os T-27 e entram os A-29 Super Tucanos.


fonte/foto/OVale

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AVIÃO COM O SENADOR AÉCIO NEVES FAZ POUSO DE EMERGÊNCIA NO AEROPORTO DE GUARULHOS

Imagem com a aeronave em que estaria Aécio, fora da pista, e que circula na internet
O avião em que estava o senador Aécio Neves (PSDB) precisou fazer um pouso de emergência no aeroporto internacional de Guarulhos na noite de quinta-feira (9), informou sua assessoria de imprensa.
Já era noite quando a aeronave, um táxi aéreo fretado pelo PSDB, saiu de Brasília com destino a São Paulo. Os pilotos, percebendo que um pedaço do pneu havia ficado na pista, teriam solicitado autorização para pousar em Cumbica, ao invés de Congonhas, por ter uma pista maior. Ao aterrissar, no entanto, o trem de pouso teria se quebrado, vindo o avião a sair da pista.
Apenas Aécio e a tripulação estavam a bordo. Segundo a assessoria, nem ele nem os pilotos se feriram.
O senador veio para São Paulo porque tem reunião agendada com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso na manhã desta sexta (10). Apesar do incidente, o encontro foi mantido.
Fernanda Carvalho/O Tempo/Estadão Conteúdo
fonte/foto/UOL

Da…

VÍDEOS DO ACIDENTE COM BOEING 737 DA PERUVIAN AIRLINES EM JAUJA