ENGENHEIRO GUIDO PESSOTI MORRE AOS 82 ANOS EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

Imagem de arquivo de Guido Pessotti em 2006 (Foto: Reprodução/ TV Vanguarda)
Imagem de arquivo de Guido Pessotti em 2006.
(Foto: Reprodução/ TV Vanguarda)
O engenheiro Guido Pessotti, de 82 anos, reconhecido como um dos mais importantes projetistas de avião do mundo, morreu na manhã desta quinta-feira (2) em São José dos Campos(SP). Guido esteve no grupo fundador da Embraer e foi o primeiro diretor técnico da fabricante de aeronaves. Ele também foi responsável por integrar projetos de aviação em diversos países

O engenheiro estava internado há duas semanas no Hospital Santos Dumont em São José e faleceu por volta das 9h em decorrência de uma infecção generalizada. Segundo a família, ele havia dado entrada na unidade para tratamento de uma infecção urinária e pneumonia. Há dois anos ele tratava um câncer de próstata. O velório teve início no fim da tarde e o enterro está previsto para a tarde desta sexta-feira (3) na cidade.

Pessotti nasceu em Piracicaba (SP) e em 1960 graduou-se em Engenharia Aeronáutica, na especialidade Aeronaves, no Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). Ele vivia com a família na cidade e deixa a esposa e quatro filhos.

Entre outros projetos, Pessotti trabalhou no desenvolvimento do bimotor Bandeirante, um dos produtos pioneiros da Embraer, durante sua passagem pela Diretoria de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA). Ele assumiu a diretoria da companhia em agosto de 1969 e esteve à frente de projetos para o desenvolvimento de aeronaves comerciais e para uso militar, vendidas para todo o mundo.
Após deixar a companhia em 1991, o engenheiro passou dez anos fora do país oferecendo assessoria para diversas empresas nas áreas de Engenharia e Projeto Aeronáutico. Em seu currículo, estão passagens por empresas de grande porte na Coreia do Sul, Alemanha e Turquia.

Em 1974, Guido Pessotti recebeu a Medalha da Ordem do Mérito Santos Dumont, concedida pelo Ministério da Aeronáutica por destacados serviços prestados à Força Aérea Brasileira. Em 1986, ele recebeu o título de Eminente Engenheiro do Ano, do Instituto de Engenharia do Estado de São Paulo.

"A Embraer é o que é hoje devido à herença técnica que ele implantou na empresa. Ele tinha um grupo com engenheiros extremamente competentes para desenvolvimento de projetos. Ele exigia muito da equipe dele, tinha visão e feeling para a área de projetos e gostava de saber das últimas tecnologias para incorporar aos produtos da empresa", afirmou o jornalista especializado em aviação Mário Vinagre, que está escrevendo uma biografia do engenheiro.

Homenagens
Por meio de nota, a Embraer afirmou que "lamenta profundamente o falecimento" de Guido Pessotti". A empresa afirmou que criou, há poucos meses, a Cátedra "Guido Pessotti" no ITA como homenagem ao engenheiro. De acordo com a companhia, a iniciativa é "uma justa e tempestiva homenagem a um profissional que muito contribuiu para o desenvolvimento da engenharia aeronáutica brasileira e da própria Embraer."
fonte/foto/G1

Comentários

Total de visualizações de página

Postagens mais visitadas