quarta-feira, 22 de maio de 2013

SEIS LIGAÇÕES AÉREAS CONCENTRAM 25% DOS PASSAGEIROS DE AVIÃO EM 2010

 Pesquisa inédita do IBGE mostra a dimensão da liderança de São Paulo na concentração do transporte aéreo doméstico de passageiros e de cargas no Brasil. Das 877 ligações aéreas existentes no País, as seis maiores têm a capital paulista como ponto de origem ou destino e concentram um quarto (25,2%) dos 71,7 milhões de passageiros transportados. Os dados, referentes a 2010, mostram que apenas 135 das 5.565 cidades brasileiras têm ligações aéreas domésticas regulares.
 
O trajeto entre São Paulo e Rio de Janeiro é o mais movimentado, com 5,6 milhões de passageiros (embarques e desembarques) em 2010, ou 7,9% do total de ligações aéreas. Em seguida vêm, pela ordem, as ligações entre São Paulo e Brasília; São Paulo e Porto Alegre e São Paulo e Salvador.

Os dois aeroportos de São Paulo tiveram juntos, em 2010, quase o dobro da movimentação de passageiros dos dois aeroportos do Rio de Janeiro, a segunda cidade com maior fluxo do País. Foram 26,8 milhões de embarques e desembarques domésticos na capital paulista e 14,4 milhões na capital fluminense. Brasília, que tem um aeroporto, ficou tem terceiro lugar, com 12,3 milhões de passageiros embarcando e desembarcando.

Campinas - Os dados mostram também que os grandes fluxos domésticos concentram-se em 14 cidades - 13 capitais e Campinas. Das 24 ligações aéreas mais movimentadas do País - que transportaram metade do total de passageiros em 2010 (35,8 milhões de embarques e desembarques) -, apenas o trecho entre Rio de Janeiro e Campinas não liga duas capitais. A grande movimentação no aeroporto de Viracopos se explica por ser o destino e a origem da maioria dos voos da companhia aérea Azul.

Cargas - A principal ligação aérea de transporte de carga do País é entre São Paulo e Manaus, responsável pelo transporte de 99,3 mil toneladas em 2010, ou 22,8% dos 434 mil toneladas transportadas no País, mostram os dados do IBGE. Foi levado em conta apenas o transporte doméstico de cargas. A alta concentração no trecho entre as capitais de São Paulo e do Amazonas se justifica pela Zona Franca de Manaus.

Segundo técnicos do IBGE que analisaram os dados, a desigualdade interna do País se repete nos voos domésticos, com o Sul e o Sudeste, além de Brasília, com os melhores padrões de acessibilidade e o Norte com os piores. "Como esperado, São Paulo é o nó de maior centralidade da rede aérea, acompanhando sua demografia, funções econômicas. O Rio de Janeiro vem perdendo importância relativa na rede de tráfego aéreo, ainda se mantendo em segundo lugar no número de passageiros, mas menos significativo em carga", diz o estudo do IBGE.

fonte/G1

Nenhum comentário:

EM HOMENAGEM AOS 48 ANOS DA EMBRAER, PILOTOS FAZEM VOO COM TRAÇADO EM FORMA DO LOGOTIPO DA EMPRESA NOS EUA

No aniversário de 48 anos da Embraer, pilotos que faziam um voo teste nos Estados Unidos fizeram uma homenagem traçando no céu a logom...