sexta-feira, 29 de maio de 2015

MIG-29 NO ESPAÇO


AVIANCA CULTURAL - CHAPLIN O MUSICAL


CICARÉ SHV-4 - SIMULADOR DE HELICÓPTERO


AVIÃO ELÉTRICO FABRICADO EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS REALIZA PRIMEIRO VOO


Voo teste do Sora-e, produzido pela ACS Aviation. Foto: Divulgação Voo teste do Sora-e, produzido pela ACS Aviation. Foto: Divulgação


Depois de quase 10 anos envolvidos em pesquisas, engenheiros de São José consumaram na semana passada uma meta histórica: voar com o primeiro avião elétrico tripulado do país.
Trata-se do Sora-e, avião monomotor para duas pessoas projetado pela empresa ACS Aviation, instalada no Jardim Santa Luzia, região sudeste de São José.
“Foi mais uma etapa do processo de desenvolvimento do avião”, diz o engenheiro Alexandre Zaramella, um dos sócios da empresa, que também presta serviço para a cadeia produtiva aeronáutica.

Tomada. O pioneirismo dos cinco engenheiros da ACS foi adaptar para um avião um sistema de propulsão elétrico, cujas baterias podem ser recarregadas em uma tomada.
Embora a autonomia seja de apenas uma hora de voo, em razão da limitação das baterias, o Sora-e é capaz de chegar a 340 km/h, velocidade considerada significativa para uma aeronave com as suas características. “Ela é mais leve e voa mais rápido do que outras da mesma categoria”, explica Zaramella, que já trabalha para potencializar o avião.
A meta é dobrar a potência do motor elétrico de 70 kW para 140 kW, alcançando até 180 cavalos de força, mais do que o dobro de um carro popular 1.0, por exemplo.
O Sora-e utiliza como base o projeto da ACS de um ultraleve avançado movido a combustão, chamado de Sora, primeira aeronave a ser desenvolvida pela equipe de São José, em 2006. Com 8,5 metros de envergadura (da ponta de uma asa à outra), o novo avião elétrico é capaz de levar 550 quilos de peso e custa R$ 280 mil.
O primeiro modelo foi “vendido” para a Itaipu Binacional, que patrocinou parte do projeto, que também contou com recursos da Finep (Financiadora de Estudos e Projetos), do governo federal. O investimento total foi de R$ 750 mil.

Voo. No dia 18 de maio, a aeronave voou por cerca de 10 minutos em São José para testes do equipamento.
“Foi uma das etapas dos testes que vínhamos fazendo há tempos, com ensaio em solo e nas nossas bancadas”, conta Zaramella. “Foi um momento histórico para nós”.
Por coincidência, hoje se comemora no país o Dia Nacional da Energia. Para o engenheiro, além dos sistemas e adaptações que eles fizeram no avião, o mais importante é o combustível alternativo.

fonte/foto/OVale

domingo, 24 de maio de 2015

AVIÃO COM ANGÉLICA E LUCIANO HUCK FAZ POUSO FORÇADO EM MATO GROSSO DO SUL



Foto: Paulo Ribas / Correio do Estado


Uma aeronave de pequeno porte fez um pouso forçado na manhã deste domingo (24) na área de uma fazenda a cerca de 30 km de Campo Grande, em Mato Grosso do Sul.


Estavam no bimotor o casal de apresentadores Angélica e Luciano Huck, acompanhado dos três filhos e de duas babás. A tripulação era composta por um piloto e um copiloto.

Segundo a assessoria da Santa Casa de Campo Grande, Angélica sofreu escoriações. Todos passam bem e foram submetidos a exames. A família deve seguir ainda neste domingo para São Paulo.

Angélica está com equipe no Pantanal de Mato Grosso do Sul para gravar temporada especial do Programa Estrelas (veja fotos e leia mais abaixo).

Angélica mostra o look do primeiro dia de gravações (Foto: Gabriel Nascimento/Gshow)Angélica mostra o look do primeiro dia de gravações (Foto: Gabriel Nascimento/Gshow)

COMO FOI O ACIDENTE
De acordo com o Corpo de Bombeiros e com a Aeronáutica, o pouso forçado ocorreu em uma propriedade nas imediações da rodovia MS-080, na saída para a cidade de Rochedo.

A aeronave tinha decolado de Estância Caimam, em Miranda, perto de Bonito, e seguia para Campo Grande.
Perto da aproximação para o pouso, às 10h52, o piloto avisou à Torre de Controle em Campo Grande que estava em situação de emergência e que faria pouso forçado.

RESGATE DOS FERIDOS
Segundo o Coronel Hudson Farias de Oliveira, do Corpo de Bombeiros, nove pessoas ficaram com escoriações leves e algumas foram transportados para a Santa Casa de Campo Grande em carros particulares.
Outros, no entanto, foram levados por quatro carros de resgate dos bombeiros e ao menos um deles foi resgatado de helicóptero. "Não há vítimas fatais", disse ao G1 o coronel.

Segundo o coordenador do Samu, Eduardo Cury, o copiloto foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Universitária.


MODELO DO AVIÃO
Segundo a Aeronáutica, o avião envolvido no acidente é um Embraer, modelo 820C, matrícula PT-ENM. A aeronave pertence à empresa MS Táxi Aéreo.

Embraer 820 (Foto: Divulgação/Embraer)
Ainda segundo a Força Aérea, todas as pessoas que estavam na aeronave foram socoridas sem ferimentos graves.

INVESTIGAÇÃO
Um helicóptero da Base Aérea de Campo Grande foi deslocado para apoiar nos trabalhos e acompanhar a investigação. No fim da manhã, técnicos do Seripa 4 já foram enviados para realizar a perícia e conduzir as apurações.

Modelo Embraer 820, do mesmo tipo que fez pouso forçado em MS. (Foto: Divulgação/Embraer)
GRAVAÇÕES DO ESTRELAS
A apresentadora Angélica e a equipe estão em Mato Grosso do Sul  para realizar gravações para o programa Estrelas, da TV Globo. De acordo com o GShow, a apresentadora grava nova temporada especial no Pantanal.

A produção levou convidados para apresentar receitas locais, realizar safari fotográfico e conduzir apresentações musicais. Rodrigo Simas, Daniel Rocha, Cristiano Araújo, Munhoz & Mariano foram alguns dos convidados.

Nas redes sociais, o casal registrou a viagem. Angélica publicou em sua conta no Instagram que estava a caminho de gravações no Pantanal na terça-feira (19). "Partiu!", escreveu.

Acompanhando Angélica, Luciano Huck publicou fotou da apresentadora no Pantanal na sexta-feira (22). "Minha pantaneira", brincou. E no sábado (23), o apresentador colocou no ar um vídeo da paisagem do local. "Que lugar lindo", afirmou.

fonte/foto/G1

Dados da aeronave via RAB

MATRÍCULA: PTENM
Proprietário:
MATO GROSSO DO SUL TAXI AEREO LTDA
CPF/CGC:

Operador:
MATO GROSSO DO SUL TAXI AEREO LTDA
CPF/CGC:

Fabricante:
EMBRAER
Modelo:
EMB-820C CARAJA
Número de Série:
820072
Tipo ICAO :
PAT4
Tipo de Habilitação para Pilotos:
MLTE
Classe da Aeronave:
POUSO CONVECIONAL 2 MOTORES TURBOHELICE
Peso Máximo de Decolagem:
3629 - Kg
Número Máximo de Passageiros:
009


Categoria de Registro:
PRIVADA SERV.TRANSP.AEREO PUBLICO NAO REGULAR TX.AEREO
Número dos Certificados (CM - CA):
9636
Situação no RAB:

Data da Compra/Transferência:
120612


Data de Validade do CA:
12/06/19
Data de Validade da IAM:
120615
Situação de Aeronavegabilidade:
Normal
Motivo(s):

Consulta realizada em: 24/05/2015 13:51:52

ATUALIZADO - 13:55


“Tiveram muita sorte, pois a área é bastante acidentada. Foi de fato um milagre e revela que o piloto tem perícia bastante apurada”, disse ao Portal Correio do Estado o capitão do Corpo dos Bombeiros, Sílvio Romero sobre o pouso forçado realizado por um avião que transportava Luciano Huck, Angélica, os três filhos do casal – Benício, Eva e Joaquim -, duas babás, o piloto, Osmar Frattini, 52, e o copiloto, identificado apenas como Flávio.
Conforme o militar, quando a equipe de resgate chegou ao local, havia somente o piloto. As demais vítimas haviam sido levadas ao hospital por terceiros. O comandante disse que buscou a família no hotel Caiman, em Miranda, região do Pantanal, e a aeronave teve problema em uma bomba de combustível de um dos lados do motor e precisou transferir a potência para o outro motor, quando teve início a perda de sustentação da aeronave. O piloto se preparou para fazer o pouso forçado na fazenda Palmeira. A aeronave chegou a bater nas cercas e deslizar de barriga por cerca de 400 metros. “A chance que ele [piloto] encontrou para pousar sem o trem de pouso foi de fato um milagre”, concluiu o militar.
O capitão médico do Esquadrão Pelicano, Mauro Pascale, ressaltou que os ocupantes da aeronave tiveram uma segunda chance, dada a energia do acidente. Ele ainda informou que as investigações já iniciaram para apurar as circunstâncias do acidente.
A proprietária da fazenda, Lorena Beatriz Leonardo, disse que a família estava reunida na sede, quando sua filha informou sobre o avião. Ela disse que havia retirado o gado momentos antes da pastagem para levá-los ao frigorífico, o que contribuiu para que o acidente não fosse mais grave.
ESTADO DE SAÚDE
A informação da Santa Casa é de que todas as vítimas estão bem e passam por radiografia e tomografia. O hospital concederá entrevista à imprensa para repassar mais detalhes.
VISITA
O governador Reinaldo Azambuja e sua esposa, Fátima, estão no hospital para conversar com a família global. Ele disse que todos estão bem.
CTI FECHADO
O setor 6 da CTI do hospital foi fechado para atender os globais.

FONTE/Correio do Estado

quarta-feira, 20 de maio de 2015

ACIDENTE COM PERDA TOTAL DE UM GRIPEN NA HUNGRIA

Gripen-Jas-39-Forca-Aerea-hungara-feat

Um caça Gripen Jas-39 da Força Aérea da Hungria, despenhou-se na terça-feira, 19 de Maio, quando se preparava para aterrar na base militar de Caslav, no Sudoeste de Praga, capital da República Checa, durante um exercício militar, confirmou uma nota oficiosa do Ministério da Defesa húngaro.

Foto:Idnes
Foto:Idnes

Ambos os pilotos ejetaram-se em segurança antes do caça cair no final da pista, com perda total da aeronave. Não são conhecidas as razões do incidente que ocorreu durante um exercício  militar tri-partido entre as Forças Aéreas da República Checa, Suécia e Hungria.

Foto: Idnes
Foto: Idnes

Foto: Idnes
Foto: Idnes

Foto: Idnes
Foto: Idnes

fonte/foto²NewsAvia/Idnes

EMBRAER FATURA US$ 1 BI COM PACOTE ASSINADO COM A CHINA



Dilma Rousseff e o primeiro-ministro da China, Li Keqiang. Foto: Divulgação Dilma Rousseff e o primeiro-ministro da China, Li Keqiang. Foto: Divulgação

A Embraer foi uma das empresas brasileiras beneficiadas no pacote de 35 acordos assinados ontem entre China e Brasil, que prevê investimentos no país da ordem de US$ 53 bilhões.
Líder mundial na fabricação de jatos comerciais de até 130 assentos, com sede em São José, a fabricante confirmou a venda de 22 aeronaves para a companhia aérea Tianjin Airlines, subsidiária do Grupo HNA.
O contrato tem valor estimado em US$ 1,1 bilhão, pelo atual preço de lista, e compreende 20 jatos E195 e dois E190-E2, o que torna a Tianjin Airlines a primeira companhia aérea chinesa a adquirir a nova família de jatos da Embraer, batizada de E2.
A compra de outros 18 jatos E190-E2, com custo estimado em US$ 1 bilhão, também faz parte do pacote, mas dependerá de uma segunda aprovação das autoridades chinesas em uma fase posterior.
“A China está crescendo muito rapidamente e há necessidade por jatos menores para apoiar operações de alimentação de tráfego em grandes aeroportos”, disse, em nota, Paulo Cesar Silva, presidente e CEO da Embraer Aviação Comercial.
Além da empresa, os acordos assinados durante visita oficial do primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, beneficiam a Petrobras, o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) e Jacareí.

Negócios. “O Plano de Ação Conjunta 2015-2021, que assinei com o primeiro-ministro, inaugura uma etapa superior em nosso relacionamento”, disse, por meio de nota, a presidente Dilma Rousseff.
Acompanharam Keqiang na visita ao Brasil uma delegação de 120 empresários chineses, que prospectam negócios e investimentos no país.
“Teremos a oportunidade de dialogar com o empresariado dos dois países sobre o importante papel que exercem nesse processo de aproximação”, afirmou a presidente.
As trocas comerciais entre os dois países alcançaram US$ 77,9 bilhões em 2014, com superávit brasileiro de US$ 3,3 bilhões.

Região. Entre os acordos bilaterais que podem beneficiar a região, estão o financiamento de projetos da Petrobras, no valor de US$ 7 bilhões, e a assinatura de protocolo complementar para a pesquisa e produção do satélite de recursos terrestres Cbers-4A, em parceria com o Inpe.
Segundo especialistas, também interessam o memorando de entendimento firmado entre Brasil e China que vai beneficiar as áreas de sensoriamento remoto, telecomunicações e tecnologia da informação, com forte atuação de empresas e institutos da região.
“A China é o parceiro econômico do futuro”, resumiu o economista Marcos Barbieri, coordenador do Laboratório de Estudos das Indústrias Aeroespaciais e de Defesa da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas).
Para ele, as empresas da região, como a Embraer, acertam ao mirar a China em seus negócios, em razão do avanço que a economia chinesa vem tendo no plano global.
Hoje, ela é a segunda maior do mundo, só perdendo para a dos Estados Unidos.
“O importante é ter a China como parceiro comercial”, disse o especialista.

fonte/foto/OVale

sexta-feira, 15 de maio de 2015

HELIPARK NÃO RESPEITOU NORMAS DA ANAC

Aeronave caiu depois de passar pelas mãos de técnico inexperiente / Reprodução Jornal da Band
Das três pessoas que trabalharam no helicóptero EC 155B1, apenas duas estavam habilitadas
 

Para pilotar ou fazer manutenção no helicóptero EC 155B1, da Eurocopter, é necessário ter habilitação e treinamento específicos. A determinação é da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

Porém, as normas parecem não ter sido respeitadas pela Helipark, que realizou a manutenção do helicóptero no qual aconteceu um acidente provocou a morte de cinco pessoas, entre elas, Thomaz Alckmin, filho do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, em abril. Câmeras de segurança flagraram o helicóptero caindo em queda livre, em Carapicuíba, na grande São Paulo.

Das três pessoas que trabalharam no helicóptero naquele dia, apenas duas estavam devidamente habilitadas. Este documento da ANAC revela que Leandro de Souza Santos tinha os cursos necessários, mas não possuía experiência, conforme exigem as normas da aviação. Pela legislação, ele não era considerado, ainda, mecânico. Logo depois de passar pelas mãos de um técnico inexperiente, o aparelho caiu.

A Aeronáutica já sabe que uma das pás quebrou durante o voo.

A Polícia Civil de São Paulo abriu um inquérito para apurar o que aconteceu. Como não é competência da polícia estadual investigar este tipo de fato, a Procuradoria da República vai requisitar tudo o que foi feito até agora para verificar se houve alguma irregularidade que possa ter provocado o acidente.

 fonte/foto/Band.uol

DAVID NEELEMAN, DONO DA AZUL VÊ RISCOS NA INSTABILIDADE LABORAL E NA DÍVIDA DA TAP



Ao contrário da mensagem que o Governo tem vindo a passar, a instabilidade laboral que a TAP vive neste momento está a deixar alguns investidores preocupados. Um deles é o dono da Azul, David Neeleman, que ainda não decidiu se irá apresentar uma oferta pela companhia de aviação na sexta-feira, data limite para a entrega de propostas de compra. 

O PÚBLICO sabe que o empresário, filho de norte-americanos mas nascido no Brasil, encara como um risco a sucessão de greves que a empresa tem enfrentado, nomeadamente a paralisação de dez dias convocada pelo Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC), que ainda não deixou cair por completo a ameaça de novos protestos.

Mas há outras variáveis que fazem com que este empresário, que além da Azul fundou também a low cost norte-americana Jetblue, ainda não dê como certa a apresentação de uma oferta pela TAP. Em destaque está a elevada dívida e o investimento que será necessário para capitalizar e renovar a frota e a oferta da companhia de aviação nacional. Além disso, não é garantido que se consiga gerar retorno para minimizar o risco de apostar na empresa, cujo passivo ronda os 1062 milhões de euros e que tem capitais próprios negativos superiores a 500 milhões.

Ainda assim, Neeleman considera que a transportadora aérea pode ter um bom caminho pela frente, pela capacidade técnica, força de trabalho, situação geográfica e forte ligação ao Brasil, mas entende que será necessária uma cooperação entre todos (banca, trabalhadores, sindicatos e Governo) para que os planos futuros resultem.

O dono da Azul está neste momento em Lisboa para tomar uma decisão final sobre se concorre ou não à privatização da TAP. Um dos pontos importantes será o dos aliados que conseguir angariar. Nesta quarta-feira, o Diário Económico noticiou que o grupo português Barraqueiro (que tinha sido apontado como parceiro de Miguel Pais do Amaral, igualmente na corrida pela companhia de aviação) irá fazer parte do seu consórcio, mas não foi possível até ao momento confirmar esta informação.

Um dos momentos importantes da passagem de Neeleman por Portugal é um encontro com o Governo para prestar os últimos esclarecimentos sobre a operação. Tal como o PÚBLICO noticiou, o executivo também recebeu os representantes de Gérman Efromovich, outro dos candidatos.

Apesar de sete investidores terem assinado o termo de confidencialidade com o Governo para acederem a informação sobre a TAP e avançarem com uma proposta, nem todos deverão concretizar uma oferta. As próximas horas serão cruciais para perceber realmente quem permanecerá na corrida.
Além de Neeleman, de Efromovich e de Pais do Amaral, fazem parte deste lote a companhia de aviação brasileira Gol e três capitais de risco: as norte-americanas Apollo e Cerberus e a britânica Greybull, dona da low cost Monarch.

Há muitas condicionantes que podem levar a um novo fracasso da venda da TAP, repetindo o cenário de 2012 em que o Governo rejeitou a oferta de Efromovich e foi obrigado a suspender o processo. Mas um dos mais importantes é a posição do PS relativamente a esta privatização, já que o secretário-geral do partido veio afirmar que, se chegar ao poder, tudo fará para reverter o negócio.

fonte/Publico.pt