domingo, 19 de março de 2017

GO AROUD IN SINT MAARTEN - WESTJET


HELICÓPTERO CAI EM ARAUCÁRIA, PARANÁ (18.03.2017)


Helicóptero caiu na tarde desta sexta-feira (17) (Foto: Divulgação/Polícia Militar de Operações Aéreas) 
Helicóptero caiu na tarde de sexta-feira (17) 
(Foto: Divulgação/Polícia Militar de Operações Aéreas)
 
Um helicóptero BELL 206B, matrícula PT-YHH,  caiu, por volta das 15h30, em Araucária, Região Metropolitana de Curitiba. O Corpo de Bombeiros informou que quatro pessoas ficaram feridas, sendo duas em estado grave. Todas estavam no helicóptero.

Os feridos em estado gravem foram encaminhados aos hospitais do Trabalhador e Evangélico, na capital. Os outros feridos foram levados para o Hospital Nossa Senhora do Rocio, em Campo Largo, também na região metropolitana.

A primeira informação repassada pelos bombeiros era de que ao menos cinco pessoas estavam feridas, e que uma estava em estado grave, mas o número foi corrigido posteriormente.

O acidente foi no cruzamento da PR-423 com a Avenida das Nações, no bairro Estação, próximo à Câmara de Vereadores. Por causa da queda, a Rodovia do Xisto chegou a ficar interditada, mas as pistas já foram liberadas.

A lataria do helicóptero ficou retorcida, mas não houve explosão, disse a prefeitura. Ainda não se sabe o que provocou a queda do helicóptero.

fonte/foto/G1

Dados da aeronave via RAB

MATRÍCULA: PTYHH

 
 
Proprietário:
ICARAI TURISMO TAXI AEREO LTDA
CPF/CGC:

Operador:
ICARAI TURISMO TAXI AEREO LTDA
CPF/CGC:

 
Fabricante:
BELL HELICOPTER
Modelo:
206B
Número de Série:
4468
Tipo ICAO :
B06
Tipo de Habilitação para Pilotos:
HMNT
Classe da Aeronave:
HELICOPTERO 1 MOTOR TURBOEIXO
Peso Máximo de Decolagem:
1520 - Kg
Número Máximo de Passageiros:

Tipo de voo autorizado:
VFR Diurno


Categoria de Registro:
DUPLA CATEGORIA-TPX/SAE-AN
Número dos Certificados (CM - CA):
15190
Situação no RAB:

Data da Compra/Transferência:
051206


Data de Validade do CA:
06/08/19
Data de Validade da IAM:
190717
Situação de Aeronavegabilidade:
Normal
Motivo(s):

Consulta realizada em: 19/03/2017 12:13:12

EMBRAER E-175LR DA REPUBLIC AIRWAYS SAI DA PISTA EM NOVA YORK


Um avião Embraer 175LR, regisrto N212JQ, da companhia norte-americana Republic Airways, que voa ao serviço da Delta Connection saiu do taxiway na manhã do sábado, dia 18 de março, depois de aterrar no Aeroporto de La Guardia, em Newark/Nova Iorque.

Não se registraram acidentes pessoais e todos os 77 passageiros desembarcaram em segurança. Desconhecem-se os motivos porque o avião saiu num caminho de circulação do segundo mais importante aeroporto do Estado de Nova Iorque, mas a neve pode ser responsável pelo incidente pois havia muito gelo acumulado no aeroporto, o que poderá ter dificultado a operação e confundido os pilotos quando levavam a aeronave para a zona de parqueamento.

O voo DL5964 era proveniente de Chicago, tendo o avião pousado cerca das 11h20 locais (16h20 UTC). Autoridades aeroportuárias disseram aos canais televisivos que os estragos parecem pouco importantes, mas a verdade é que só depois de uma inspeção qualificada é que serão avaliadas as avarias sofridas pela aeronave.

fonte/foto/NewsAvia

quinta-feira, 9 de março de 2017

MD-83 SAI DA PISTA AO ABORTAR DECOLAGEM NO AEROPORTO DE WILLOW RUN, MICHIGAN


Um avião comercial MD-83 da companhia norte-americana Ameristar Jet Charter, matrícula N786TW, saiu de pista no início da tarde desta quarta-feira, no Aeroporto de Willow Run, no Estado do Michigan, tendo sofrido importantes danos materiais.

Os ocupantes, entre os quais se contavam os elementos da equipa masculina de basquetebol da Universidade do Michigan, saíram ilesos, se bem que se contem alguns feridos ligeiros, que foram assistidos por equipas de socorro locais.

O incidente terá ocorrido quando o avião rolava na pista para levantar voo, cerca das 14h55 locais (21h55 UTC). Devido aos ventos fortes que se faziam sentir o comandante decidiu abortar (arremeter, na gíria brasileira) a descolagem, mas os travões não obedeceram tal como esperava e a aeronave saiu pela cabeceira de pista e imobilizou-se a cerca de 345 metros do final da pista (ver abaixo desenho apresentado pela aviation-safety.net), tendo inclusive saltado uma cerca de arame da pista, depois de um primeiro impacto numa zona de terra na área de segurança do aeroporto.



As primeiras indicações é de que não há feridos graves e a Universidade do Michigan já publicou nas redes sociais que a comitiva desportiva que se deslocava para Washington para um jogo oficial, aguarda transporte em outra aeronave, com um problema, ainda anão resolvido por enquanto, que é o facto das bagagens e equipamentos estarem presos no avião sinistrado, ao qual não podem acessar.

As autoridades aeroportuárias também confirmaram o incidente e manifestaram satisfação por não terem sido registrados danos pessoais entre os ocupantes da aeronave, que tinha sido fretada pela Universidade de Michigan e se dirigia para o Aeroporto Internacional de Washington/Dulles, no Distrito Federal.

Por enquanto desconhece-se o número de passageiros e de tripulantes que seguiam a bordo do MD-83 da Ameristar Jet Charter, um avião construído em 1992, com 25 anos de serviço.

fonte/foto/NewsAvia

PROBLEMAS NA PISTA DO AEROPORTO DE NATAL

A uma semana do leilão de mais quatro concessões, o governo recebeu uma notícia surpreendente: a pista do novo aeroporto de Natal está com problemas graves em sua base e deverá ser fechada em breve para uma reforma estrutural. Na prática, ela corre o risco de "afundar" se a falha não for corrigida, conforme relataram técnicos da Inframérica a autor.
 
O detalhe é que a pista foi inaugurada oficialmente pelo governo da ex-presidente Dilma Rousseff menos de três anos atrás. Era uma espécie de xodó do Batalhão de Engenharia do Exército (BEC), que tocou a construção como obra pública, com recursos transferidos do caixa da Infraero. A Inframérica arrematou a concessão do aeroporto até 2039 e ficou imcubida de erguer o terminal de passageiros.
 
Mais do que um fato isolado, o episódio foi interpretado por fontes da iniciativa privada como demonstração dos riscos envolvidos nas concessões de infraestrutura. A reforma da pista, se for aprovada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), terá que ser bancada pela própria concessionária. Ela não tem garantia nenhuma de que será ressarcida pelo custo da obra por eventuais restrições operacionais.
 
Enquanto durar a reforma, que deve consumir alguns meses, pousos e decolagens serão feitos pela pista de taxiamento dos aeronaves. Trata-se, no entanto, de uma pista sem o mesmo balizamento e que não permite operações noturnas. Com isso, haveria menos voos de e para Natal.
 
fonte/ValorEconomico

quarta-feira, 8 de março de 2017

AIRBUS 380 PERDENDO ESCADA PARA TENTAR CONTINUAR NO MERCADO

© Swipe News, SA © Fornecido por ECO - Economia Online

A Airbus está a estudar acabar com a grande escadaria de entrada do A380, o maior avião comercial do mundo, e torná-la mais estreita e modesta, numa tentativa de cortar custos. Além disso, a fabricante de aeronaves está a ponderar introduzir dispositivos de poupança de combustível nas asas, para ganhar eficiência.

Segundo a REUTERS, que avança a informação, a transformação do avião implicaria acrescentar 40 a 50 lugares, aumentando a capacidade para mais de 600 lugares e reduzindo, assim, os custos por passageiro. Para conseguir espaço para esses lugares, a Airbus terá, precisamente, de prescindir da grande escadaria que tem à entrada do avião, além de ter de modificar a escadaria em caracol ao fundo do avião.

Os planos ainda estão por aprovar, mas, a avançarem, representam mais uma machadada no maior avião comercial do mundo. No final do ano passado, o A380 perdeu mais um cliente, depois de o Irão ter anunciado que não quer nenhum destes aparelhos no lote de aviões que encomendou à Airbus.

Foi apenas um exemplo das dificuldades que a fabricante tem tido para encontrar compradores para o A380, cuja produção já encolheu para metade. Até 2018, a Airbus antecipa vender apenas um A380 por mês, mas a administração mantém-se confiante. “O momento do A380 virá”, disse o chefe de vendas da Airbus, John Leahy, numa conferência, esta semana.

fonte/foto/MSN/EconomiaOnLine

COM NOVO JATO, EMBRAER BUSCA CONQUISTA DE UM NOVO MERCADO

Embraer E2 Foto: Divulgação / Embraer
Apresentando nesta terça, o E195-E2 é o maior avião fabricado no Brasil e nasce com uma missão: ser a ‘mais eficiente’ aeronave comercial do mundo para as rotas domésticas, segundo o planejamento da empresa

Xandu Alves
São José dos Campos
Apostando em eficiência, a Embraer quer conquistar o mercado de empresas aéreas de baixo custo com o lançamento do jato comercial E195-E2, apresentado ao público ontem, em São José dos Campos.
Trata-se do maior avião projetado e fabricado no país, e, de acordo com a Embraer, o ‘mais eficiente avião comercial do mundo para rotas domésticas’. A aeronave tem capacidade para até 146 passageiros e valor de mercado de aproximadamente US$ 66 milhões.
Com voo inaugural previsto para os próximos meses, o jato entrará em serviço em 2019. Ele pertencente à segunda geração dos novos jatos da Embraer, os E-Jets E2, cujo programa recebeu US$ 1,7 bilhão em investimentos desde 2013, quando foi lançado.
Diferenças. Entre as vantagens da nova aeronave, segundo a Embraer, estão custo 20% menor por viagem, custo por assento similar ao de modelos maiores, três fileiras a mais de cadeiras comparado ao E195, 800 quilômetros a mais de alcance, maior eficiência de combustível e capacidade de transportar 10% mais passageiros com o mesmo peso do avião concorrente direto --CS100, da Bombardier.
“O E195-E2 tem potencial de mudar significativamente o perfil de frota das companhias aéreas em todo o mundo”, afirmou John Slattery, presidente e CEO da Embraer Aviação Comercial. “Torna-se o avião ideal tanto para crescimento de empresas regionais como complementação de frota de empresas de baixo custo e de linhas principais”.
Companhias. No Brasil, a Gol Linhas Aéreas é a principal empresa a atuar no mercado de baixo custo. A companhia ainda não utiliza aviões da Embraer em sua frota, mas aeronaves da Boeing.
Também atuando nesse mercado, a Azul Linhas Aéreas utiliza modelos da Embraer e já comprou 30 unidades do novo E195-E2. O novo avião já conta com 90 unidades vendidas no mundo, valor que supera US$ 5,5 bilhões.
Tanto sucesso é creditado à eficiência que a fabricante conseguiu ao desenvolver a aeronave, contando com experiência de mais 17 milhões de horas voadas nos E-Jets atuais, com uma frota de mais 1.300 unidades. “O avião terá uma economia de até 24% de consumo e 20% nos custos de manutenção por assento quando comparado ao atual E195”, disse Luís Carlos Affonso, vice-presidente de Operações, Embraer Aviação Comercial.
“Parte dessa economia será atingida pela nova tecnologia de motores, mas o grande diferencial competitivo do [modelo] E195-E2 está na otimização da estrutura e dos seus vários sistemas”, completou.

 fonte/foto/OVale