Pular para o conteúdo principal

SITAVA CONVOCA GREVE PARA PRIMEIRA SEMANA DE JULHO

Grounfforce TAP Aero FNC 900px

O Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (SITAVA) anunciou nesta quinta-feira, dia 2 de junho, em Lisboa, um pré-aviso de greve para 1, 2 e 3 de julho contra a precariedade dos trabalhadores dos serviços de assistências nos aeroportos (‘handling’) e acusa o Governo Português de inação.

“O SITAVA anuncia desde já que, perante a passividade do Governo, não resta aos trabalhadores outra alternativa que não seja lutarem pelos seus postos de trabalho, pelas suas empresas, pela sua sobrevivência, pelo que decidimos entregar um pré-aviso de greve em todas as empresas de ‘handling’ para os dias 1, 2 e 3 julho de 2016”, afirmou Fernando Henriques, presidente do sindicato, em conferência de imprensa. O dirigente sindical afirmou que esse pré-aviso abrange as empresas Groundforce e Portway, mas também todos os trabalhadores de empresas de trabalho temporário e prestadoras de serviço que atuam na área do ‘handling’. Atualmente, segundo o SITAVA, há cerca de 5.000 trabalhadores deste setor em Portugal e este sindicato representa 1.300.

Quanto aos motivos específicos da greve, segundo Fernando Henriques, é imperativo que o executivo liderado por António Costa intervenha no setor para impedir a operação da empresa Groundlink, que presta serviços de ‘handling’ para a Ryanair, uma vez que essa atua de forma “fraudulenta” e não cumpre os direitos dos trabalhadores, que operam em condições abaixo das praticadas nas outras empresas do setor. É essa situação, defende o sindicato, que está na origem no despedimento coletivo de 256 funcionários que a Portway – integrada no grupo Vinci Airports, por pertencer à ANA – está a levar a cabo, uma vez que, diz o dirigente sindical, a Groundlink atua em “concorrência desleal” ao não cumprir as regras do setor.

Ainda assim, o sindicato também lança críticas à Vinci Airports, afirmando que este é “já o terceiro despedimento coletivo” que a empresa leva a cabo desde que ganhou a concessão da ANA Aeroportos de Portugal, a gestora dos aeroportos, uma vez que despediu 12 trabalhadores de uma função especifica no aeroporto de Faro e tem também a decorrer as rescisões com 21 trabalhadores de apoio a pessoas de mobilidade reduzida que estão na empresa há 8 anos e para os quais a empresa está a “mandar cartas de despedimento para não os integrarem”.

Por fim, o SITAVA exige que o Governo anule o despacho do anterior executivo, que permitiu um terceiro operador de ‘handling’ no aeroporto de Lisboa, cumprindo aliás a recomendação que foi aprovada no parlamento a 31 de março, pelos partidos que apoiam o atual executivo liderado pelo partido Socialista. Questionado na conferência de imprensa sobre o que poderá evitar a greve, o presidente do SITAVA referiu que para isso é preciso que o Governo tome ações e pare os processos em curso até 30 de junho.

fonte/foto/NewsAvia

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AVIÃO COM O SENADOR AÉCIO NEVES FAZ POUSO DE EMERGÊNCIA NO AEROPORTO DE GUARULHOS

Imagem com a aeronave em que estaria Aécio, fora da pista, e que circula na internet
O avião em que estava o senador Aécio Neves (PSDB) precisou fazer um pouso de emergência no aeroporto internacional de Guarulhos na noite de quinta-feira (9), informou sua assessoria de imprensa.
Já era noite quando a aeronave, um táxi aéreo fretado pelo PSDB, saiu de Brasília com destino a São Paulo. Os pilotos, percebendo que um pedaço do pneu havia ficado na pista, teriam solicitado autorização para pousar em Cumbica, ao invés de Congonhas, por ter uma pista maior. Ao aterrissar, no entanto, o trem de pouso teria se quebrado, vindo o avião a sair da pista.
Apenas Aécio e a tripulação estavam a bordo. Segundo a assessoria, nem ele nem os pilotos se feriram.
O senador veio para São Paulo porque tem reunião agendada com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso na manhã desta sexta (10). Apesar do incidente, o encontro foi mantido.
Fernanda Carvalho/O Tempo/Estadão Conteúdo
fonte/foto/UOL

Da…

VÍDEOS DO ACIDENTE COM BOEING 737 DA PERUVIAN AIRLINES EM JAUJA