Pular para o conteúdo principal

EXPLOSÃO EM AVIÃO DA TAP - MOTOR TINHA MAIS DE 370 VOOS QUE O PREVISTO


A falha num motor de um avião da TAP que em 12 de julho de 2014 tinha acabado de descolar de Lisboa para o Brasil deveu-se, entre outras razões, a falhas do fabricante que não teve 'agenda' para substituir o motor na altura recomendada.

O caso aconteceu em Camarate, na vizinhança do aeroporto, provocando um forte estrondo e a separação da pá no interior do motor, libertando detritos que atingiram vidros de carros e casas.

A situação de emergência com 232 passageiros a bordo obrigou a regressar ao aeroporto, sendo preciso esperar 41 minutos no ar e libertar 40 toneladas de combustível.

Agora, dois anos depois, o Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves (GPIAA) concluiu a investigação e aponta o dedo ao fabricante do motor, a General Electric, que teve "dificuldade", "por questões relacionados com os contratos com os diversos operadores e/ou disponibilidade", em agendar mais cedo a remoção do motor que já tinha atingido o máximo de ciclos recomendados (ou seja, arranques ou voos).

A investigação lida pela TSF revela que a análise em laboratório da "pá fraturada encontrou múltiplos locais de iniciação de fissuras causados por Corrosão a Quente".

 

GPIAA (Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves) As recomendações do fabricante apontavam o limiar de segurança de remoção dos motores para um máximo de aproximadamente 3700 arranques de forma a reduzir o risco de separação das pás, mas o motor que falhou já ia em 4070, ou seja, mais 370 voos que o previsto.

Neste e noutros aviões da TAP os motores não são da companhia aérea e estão alugados ao fabricante.

Depois deste acidente e de recomendações do fabricante foi aliás preciso substituir outros dois motores de aviões da TAP que também já tinham ultrapassado a vida útil recomendada e onde tinham sido detetadas fissuras na maioria das amostras avaliadas, com um nível de corrosão médio e elevado.

Quanto ao acidente de julho de 2014, a investigação acabou por atribuir a causa a "fissuras desencadeadas por corrosão" sob a "plataforma de fixação" de pás do motor que acabaram por se separar durante a fase inicial da subida.

Para o desfecho anterior, o GPIAA aponta como primeiro "fator contributivo" a referida falta de substituição atempada do motor. O acidente aconteceu a 12 de julho e a substituição do motor estava prevista para 16 de julho.

A investigação conclui ainda que houve outras causas que contribuíram para o acidente. Nomeadamente, "a exposição dos motores a elementos corrosivos que aceleraram a degradação das pás do motor", como "pó, areia, poluição e sal (operação sobre e próximo de ambiente marítimo) devido ao tipo de operação intrínseca", bem como "ambientes quentes e secos", além do "elevado teor de enxofre nos combustíveis de aviação a um nível internacional".

Fonte ligada ao processo recorda que os aviões da TAP atravessam várias vezes o Oceano Atlântico e este é um fator que diminui a vida útil dos materiais.

fonte/MSN

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AVIÃO COM O SENADOR AÉCIO NEVES FAZ POUSO DE EMERGÊNCIA NO AEROPORTO DE GUARULHOS

Imagem com a aeronave em que estaria Aécio, fora da pista, e que circula na internet
O avião em que estava o senador Aécio Neves (PSDB) precisou fazer um pouso de emergência no aeroporto internacional de Guarulhos na noite de quinta-feira (9), informou sua assessoria de imprensa.
Já era noite quando a aeronave, um táxi aéreo fretado pelo PSDB, saiu de Brasília com destino a São Paulo. Os pilotos, percebendo que um pedaço do pneu havia ficado na pista, teriam solicitado autorização para pousar em Cumbica, ao invés de Congonhas, por ter uma pista maior. Ao aterrissar, no entanto, o trem de pouso teria se quebrado, vindo o avião a sair da pista.
Apenas Aécio e a tripulação estavam a bordo. Segundo a assessoria, nem ele nem os pilotos se feriram.
O senador veio para São Paulo porque tem reunião agendada com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso na manhã desta sexta (10). Apesar do incidente, o encontro foi mantido.
Fernanda Carvalho/O Tempo/Estadão Conteúdo
fonte/foto/UOL

Da…

VÍDEOS DO ACIDENTE COM BOEING 737 DA PERUVIAN AIRLINES EM JAUJA