Pular para o conteúdo principal

COM A PALAVRA AVIANCA & ANAC - TRIPULAÇÃO ABANDONA AVIÃO PARA FAZER COMPRAS EM FREE SHOP - DENÚNCIA

  ABANDONAR A CABINE DURANTE - FATO GRAVE OU NORMAL ? COM A PALAVRA AVIANCA E ANAC, MUITO ESTRANHO......


Posted Today, 02:20
Amigos forenses,

Quero compartilhar um incidente que presenciei e vivenciei, até para saber se a sequência dos procedimentos foi correta e me posicionar a respeito.

No dia 18 de março fiz o trecho ADZ-BOG no AV8561, que é o bate-volta pra Bogotá do AV8560, com a mesma tripulação e uns 40min de escala.

Estava muito bem posicionado no saguão de embarque e pude presenciar o pouso no horário da aeronave e o desembarque dos passageiros. Pouquíssimos instantes após o último passageiro ter desembarcado, começa a cena:

Como loucos desesperados correm piloto, copiloto e (parte da) tripulação da aeronave pro saguão e pra dentro do free shop; estava sentado a uns 30m do caixa, tinha visão privilegiada de toda a cena!

Todos compravam como loucos, comparando preços e enchendo as cestas! O capitão e o copiloto compraram basicamente destilados, enquanto a tripulação, perfumes e cosméticos em geral. Uma vez dentro da loja, todos estavam mais calmos, rindo e interagindo uns com os outros, e lá ficaram uns 15 minutos.

De repente chega uma comissária, que tinha ficado na aeronave, e se junta à turma das compras por pouco tempo. Todos retornam à aeronave sorridentes e o embarque começa poucos instantes a seguir.

O voo saiu com 20min de atraso e pousou em Bogotá com 5min de atraso. Tivéssemos saído no horário planejado, não teríamos de esperar a aproximação e o pouso da aeronave da LAN, o que os atrasou.

Quando questionada por escrito a respeito, a Avianca se limitou a dizer que não havia registro de nada "anormal" (sic) no livro de voo e que não encontrou "inconsistências" (sic) nos procedimentos em terra da tripulação.

Sendo assim, aqui vão minhas perguntas de leigo - passageiro muito frequente, porém leigo "da coxia pra dentro":

* não há uma série de procedimentos de segurança a serem feitos pela tripulação entre uma decolagem e outra?

* não há uma série de checagens que o piloto e copiloto devem fazer antes de se iniciar um novo voo? eu me lembro vagamente de ter lido algo sobre as várias atribuições do pessoal de cockpit na revista da TAM faz algum tempo...

* quais os riscos para nós, passageiros, no caso de uma eventualidade? algo poderia ter acontecido em decorrência específica do que chamo aqui de incidente? se sim, por exemplo o quê?

* tal procedimento é normal, correto ou aceitável? a empresa pode corroborar com ele? qual a responsabilidade da Avianca no caso? eu não deixaria meu trabalho no meio pra ir comprar cachaça e rímel, por exemplo!!!

* em a situação estando correta, haveria algo para se colocar no registro de voo? ou, já que ela foi inadequada, seria óbvio não fazer o registro e assim não ter provas contra si, correto?

* o sistema de segurança do aeroporto certamente pegou todas as imagens; enquanto estavam na loja, e fui buscar onde estavam as câmeras e pelo menos três pegariam toda a sequência que descrevi. A Avianca teria acesso a essas imagens e está apenas defendendo seus funcionários? defendendo ou acobertando?

Penso que a minha segurança e a de todos os outros passageiros correu algum risco, ou estou errado e é um procedimento normal e aceitável? Se não o é, como devo proceder com/contra a empresa? Nada aconteceu, mas poderia ter acontecido, correto?

Gostaria muito a opinião detalhada de vocês, não tenho como ter certo conhecimento específico de procedimentos apenas como passageiro-frequente! Muito obrigado!
fonte/Forum/ContatoRadar

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AVIÃO COM O SENADOR AÉCIO NEVES FAZ POUSO DE EMERGÊNCIA NO AEROPORTO DE GUARULHOS

Imagem com a aeronave em que estaria Aécio, fora da pista, e que circula na internet
O avião em que estava o senador Aécio Neves (PSDB) precisou fazer um pouso de emergência no aeroporto internacional de Guarulhos na noite de quinta-feira (9), informou sua assessoria de imprensa.
Já era noite quando a aeronave, um táxi aéreo fretado pelo PSDB, saiu de Brasília com destino a São Paulo. Os pilotos, percebendo que um pedaço do pneu havia ficado na pista, teriam solicitado autorização para pousar em Cumbica, ao invés de Congonhas, por ter uma pista maior. Ao aterrissar, no entanto, o trem de pouso teria se quebrado, vindo o avião a sair da pista.
Apenas Aécio e a tripulação estavam a bordo. Segundo a assessoria, nem ele nem os pilotos se feriram.
O senador veio para São Paulo porque tem reunião agendada com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso na manhã desta sexta (10). Apesar do incidente, o encontro foi mantido.
Fernanda Carvalho/O Tempo/Estadão Conteúdo
fonte/foto/UOL

Da…

VÍDEOS DO ACIDENTE COM BOEING 737 DA PERUVIAN AIRLINES EM JAUJA