ITAMARATY CONFIRMA CONDENAÇÃO DE BRASILEIRO POR AMEAÇAR VOO NOS EUA


O Itamaraty confirmou nesta sexta-feira (16) a condenação do brasileiro Francisco Fernando Cruz, preso no dia 9 de janeiro em Miami, nos Estados Unidos, por enviar emails à polícia e à TAM Linhas Aéreas com ameaça de bomba em um avião da empresa. Segundo o Itamaraty, o estudante, de 23 anos, foi condenado pela Justiça norte-americana a doze meses e um dia de prisão.

Na quinta-feira, em entrevista ao G1, Cláudia Cruz, mãe do estudante, informou que o filho tinha sido condenado a cinco meses de prisão. Cláudia afirma que o consulado em Miami explicou que a pena, na prática, é menor do que 12 meses e um dia, visto que ele já cumpre prisão. Segundo o Itamaraty, Francisco será solto em janeiro.

Cláudia diz que o filho entrou em contato após a decisão e disse que estava consciente da punição. “Ele estava tranquilo e disse para eu não ficar preocupada. Ele sabe que errou e me falou que poderia ser pior. Nós estamos no processo de aceitar. Sabemos que a punição era preciso, afinal, ele errou e tinha que pagar por isso”, diz a cabeleireira, que mora emS orocaba.


 Entenda o caso
O sorocabano foi preso no dia 9 de janeiro em Miami, nos Estados Unidos. Segundo o FBI, Francisco, que morava nos EUA há dois anos, havia enviado no dia 8 um e-mail ao Departamento de Polícia de Miami (MDPD) e à TAM Linhas Aéreas alertando sobre a existência de uma bomba em um avião da empresa.

A mensagem informava: "Flight must not take off. Targeted. It will go down. Retaliation. Cargo is dangerous. Be advised" (Voo não deve decolar. Marcado. Vai cair. Retaliação. Carga é perigosa. Estejam avisados). Segundo a polícia americana, o Departamento de Polícia de Miami rastreou a origem da mensagem e concluiu que ela foi enviada de um computador na Montclair State University, em Montclair, Nova Jersey.

A polícia teve acesso às imagens que mostram o terminal de computador usado para enviar a mensagem. "A segurança pública de quem viaja é fundamental, e quaisquer ameaças feitas para perturbá-la serão investigadas sem impunidade", declarou JD Patterson, diretor do MDPD.

Na época, a assessoria da TAM Linhas Aéreas afirmou que foi notificada pelas autoridades do EUA sobre a suposta presença de bombas a bordo de uma de suas aeronaves. “Para garantir a segurança dos clientes e da tripulação, a companhia, como já fez em outras circunstâncias de alarme falso, reforçou a inspeção de todas as cargas despachadas, assim como aos passageiros”, diz a nota. Ainda segundo a TAM, após investigações, foi confirmada que a ameaça era falsa. "Nenhum risco foi detectado à segurança do voo JJ8043. A aeronave decolou normalmente, no horário previsto", completava a nota.

fonte/G1

Comentários

Total de visualizações de página

Postagens mais visitadas