quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

"O VOO", QUE RENDEU INDICAÇÃO AO OSCAR PARA DENZEL WASHINGTON, ESTRÉIA SEXTA

div dir="ltr" style="text-align: left;" trbidi="on">
'O Voo', que rendeu indicação ao Oscar para Denzel Washington, estreia sexta Paramount/Divulgação
Denzel Washington é Whip Whitaker, piloto alcoólatra que evita uma catástrofe Foto: Paramount / Divulgação

Denzel Washington não ganhará o Oscar – a menos que o imponderável arranque a estatueta de melhor ator de Daniel Day-Lewis, o protagonista de Lincoln consagrado antecipadamente por grande parte da crítica.

Mas O Voo, estreia desta sexta-feira (8/2), reconduz um dos grandes nomes de Hollywood a um trabalho de destaque, depois de um caminho irregular nos últimos anos.

Dirigido por Robert Zemeckis (De Volta para o Futuro, Forrest Gump – O Contador de Histórias e Náufrago), O Voo faz o espectador cravar os dedos na poltrona logo nos primeiros minutos. Denzel vive Whip Whitaker, piloto do avião que realizará o curto trajeto entre Orlando e Atlanta forçado a domar a aeronave que sacode violentamente ao atravessar uma tempestade e sofrer uma pane. Depois de uma sequência surpreendente de manobras e improvisos, o comandante consegue aterrissar em condições muito precárias. O saldo de seis mortes entre os 102 a bordo não impede que ele seja saudado como herói, mas o salvador troca de posição sem demora.
Whitaker é alcoólatra, e exames comprovam que ele estava trabalhando sob efeito de bebida. A investigação que começa a ser conduzida deve esclarecer se falhas mecânicas chacoalharam e quase derrubaram o voo 227 da Southjet ou se a imperícia resultante da cerveja e do uísque baratos é que jogaram uma centena de pessoas contra o chão.

– Foi um prazer embarcar nessa jornada e, de certa maneira, me expor. Visitei alguns lugares sombrios, guiado por um roteiro muito forte – disse Denzel na coletiva de imprensa realizada em um hotel de Beverly Hills, dias antes da estreia do longa nos cinemas americanos.

O roteiro é de John Gatins, jovem autor agora indicado ao Oscar que sofreu, na adolescência, com a dependência de álcool. Além da boa atuação de Denzel, vencedor do Oscar de melhor ator por Dia de Treinamento (2001) e de coadujante por Tempo de Glória (1989), o elenco oferece outras notáveis, ainda que breves, participações. John Goodman é o divertido Harling Mays, camarada que surge na hora ruim para abastecer o amigo em desgraça com carreiras de cocaína. Don Cheadle (Crash – No Limite) interpreta o advogado Hugh Lang, encarregado de livrar o mocinho da cadeia, e Kelly Reilly se destaca como a perturbada Nicole, a namorada viciada em heroína. Melissa Leo (Oscar de melhor atriz coadjuvante por O Vencedor, de 2010) entra ao final para contracenar com Denzel na sequência mais tocante.

O Voo não exagera no drama e não reforça os clichês habituais dos enredos de derrocada e superação, mas flerta desajeitadamente com o riso em alguns trechos. Mesmo com a empatia imediata de Goodman, há cenas que destoam do contexto. Segundo Zemeckis, também piloto de avião – e esta habilidade concede grande veracidade à encenação –, o propósito é exatamente esse.

– Filmes devem ser entretenimento. É por isso que você vai ao cinema. Pode ser um tema sombrio, sério e complexo, mas não acredito que tenha que abdicar de humor, ação ou suspense – define o diretor. – E sempre poderei contar com alguém como John – completa, rindo.

fonte/ZeroHora
Enhanced by Zemanta

Nenhum comentário:

EM HOMENAGEM AOS 48 ANOS DA EMBRAER, PILOTOS FAZEM VOO COM TRAÇADO EM FORMA DO LOGOTIPO DA EMPRESA NOS EUA

No aniversário de 48 anos da Embraer, pilotos que faziam um voo teste nos Estados Unidos fizeram uma homenagem traçando no céu a logom...