sábado, 15 de agosto de 2009

QUEDA DE AVIÃO EM PORTUGAL, CONFIRMADOS DOIS MORTOS

A governadora civil de Évora, Fernanda Ramos, confirmou a existência de duas vítimas mortais no acidente ocorrido nesta sexta-feira (14) no Bairro de Almeirim, em Évora, Portugal, sendo um deles o dono da empresa de paraquedismo SkyDive.

"São efectivamente dois mortos que estão encarcerados nos destroços" da aeronave, disse à agência Lusa Fernanda Ramos.

Tanto Fernanda Ramos como o director do Aeródromo Municipal de Évora, comandante Lima Bastos, confirmaram que uma das vítimas mortais, o piloto do avião, era o proprietário da empresa de saltos de pára-quedas SkyDive.

"O dono da SkyDive, Edy Resende, era o piloto da aeronave que se despenhou e morreu no acidente", disse à Lusa o comandante Lima Bastos.

A identidade da segunda vítima mortal ainda não foi oficialmente revelada pelas autoridades.

O avião da SkyDive que se despenhou transportava pára-quedistas, que, na altura do acidente, já tinham efectuado o seu salto.

Questionada sobre os danos causados no edifício em que a aeronave raspou, a governadora civil de Évora, Fernanda Ramos, admitiu que os prejuízos materiais deverão ser assumidos pela empresa.

"Estamos a falar de uma empresa privada que tem os seus seguros e tem que assumir" esses prejuízos, disse.

O comandante Lima Bastos explicou à Lusa que a empresa SkyDive está sediada no Aeródromo Municipal de Évora "há cerca de dois anos" e realiza "inúmeros voos todas as semanas".

"Esta empresa promove saltos para pára-quedistas profissionais e amadores e também saltos de pandem (em que a pessoa salta presa a um instrutor)", afirmou.

Os saltos de pára-quedas "estão na moda em Évora, principalmente aos fins-de-semana", quando a SkyDive costuma efectuar "dezenas de lançamentos", acrescentou o director do Aeródromo.

As causas da queda do avião, nomeadamente sobre se poderá ter havido alguma falha de motor, vão ser apuradas pelo "Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves (GPIAA)", revelou o comandante Lima Bastos.

"Fui informado que os elementos do GPIAA estarão em Évora sábado de manhã para proceder à investigação", adiantou a mesma fonte.

Bimotor que caiu tinha uma semana

O avião bimotor Beechcraft 99, prefixo F-BTME, que ontem se despenhou em Évora provocando a morte a duas pessoas havia sido comprado há cerca de uma semana, avançou ao DN fonte policial, acrescentando que uma "falha mecânica" poderá ter estado na origem do acidente.

As duas vítimas mortais, cujos corpos ficaram carbonizados no interior do aparelho, são Eddy Resende, o piloto e proprietário da aeronave, e João Silva, pára-quedista, respectivamente com cerca de 40 e 37 anos. "O avião foi comprado em França e estava a voar em Portugal há poucos dias", explicou a mesma fonte.

Tudo aconteceu pouco depois das 19.00 quando o Beechcraft regressava à pista do Aeródromo Municipal de Évora depois de ter procedido ao lançamento de diversos pára-quedistas.

Aos comandos seguia Eddy Resende, um dos pára-quedista mais experientes do país e proprietário da empresa de saltos Sky Dive. João Silva acompanhou-o no voo.

Segundo o comandante do aeródromo, Lima Bastos, o avião fez uma primeira tentativa de aterragem. Mal sucedida. Depois, quando efectuava uma manobra de 180 graus para regressar à cabeceira da pista, sobre uma zona residencial do Bairro de Almeirim, na periferia de Évora, embateu num prédio de dois andares despenhando-se na rua.

"Foi uma queda a pique. Bateu no solo e explodiu", contou uma testemunha ocular ao DN. Só nessa altura é que diversos moradores se aperceberam da situação. "A hélice estava a arder e logo a seguir ouviu-se uma forte explosão", contou Maria Dias, 48 anos. "Antes de cair via-se muito fumo a sair do avião", garantiu outro morador.

Um dos amigos das vítimas contou ao DN que o avião terá entrado em emergência a cerca de 9 mil pés altitude (2900 metros) quando um dos motores terá parado. Nessa altura, os pára-quedistas saltaram, enquanto Eddy Resende e João Silva tentaram aterrar. Não houve qualquer comunicação com a torre de controlo.

A violência da explosão e o facto de os corpos terem ficado praticamente desfeitos num monte de destroços fizeram com que durante algum tempo as autoridades admitissem a possibilidade de um deles ter conseguido saltar antes do embate. Por isso ainda foram efectuadas buscas em toda a área circundante. Só duas horas e meia depois é que a governadora civil de Évora, Fernanda Ramos, confirmou a existência de duas vítimas mortais.

"Isto tinha de dar-se. Os aviões andam sempre aqui por cima das casas, às vezes até às onze da noite, e ninguém está livre de uma coisa destas", disse um morador do Bairro de Almeirim, acrescentando que a proximidade do aeródromo municipal faz com que a zona seja diariamente sobrevoada por "dezenas" de aviões.

Nas operações de socorro estiveram envolvidos 29 bombeiros, apoiados por sete viaturas. As operações de desencarceramento prolongaram-se pela noite. As causas do acidente estão a ser investigadas pelo Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves (GPIAA).
fonte: ASN

ARGENTINA PODE FICAR SEM VIGILÂNCIA AÉREA E MARÍTIMA

As Forças Armadas argentinas entraram em alerta esta semana devido a uma ameaça que não vem de fora, mas de dentro do próprio país. A Ministra da Defesa, Nilda Garré, ordenou o corte de 50% na verba destinada à manutenção operacional dos militares. Esse corte de metade do orçamento tem execução imediata enquanto que outra redução de 30% está prevista para o próximo trimestre.

Com o corte a Argentina vai ficar sem vigilância aérea e nenhum controle marítimo. O Exército também suspenderá seus planos de apoio à comunidade no interior do país e as operações antárticas previstas para o verão de 2010 poderão ser suspensas.

As aeronaves militares são as primeiras vítimas do corte, destaca o jornal Âmbito Financeiro. O Ministério da Defesa ordenou o cancelamento de todos os voos em 15 de agosto. Linhas aéreas do Estado não receberão reservas de passagens para o mês de setembro. A aviação aeronaval, vital para o controle da pesca no litoral do Atlântico recebeu a informação de que todos os seus aviões devem ficar nos hangares. A Armada Argentina já teme receber a ordem de retorno às bases das suas corvetas que patrulham as águas do Mar de Plata à Patagônia.

Os Comandantes das três Forças enviaram relatórios ao subsecretário de Planificação Logística com o detalhando o que cortar e como fazer para evitar a completa paralisação operacional. A preocupação maior está nas operações vitais para a integridade do Estado. Uma está destinada a identificar os voos ilegais de contrabando e narcotráfico através do sistema de radares da Força Aérea e do Exército.

Garré Ordenou retirar radar de vigilância da fronteira nordeste

A Ministra da Defesa Nilda Guarré ordenou a retirada do radar responsável pela vigilância das fronteiras com o Brasil e Paraguai. Localizado em Posadas, Missiones, o TPS 43 é um sistema de campanha destinado à vigilância dos voos ilícitos que partem de pistas clandestinas em território paraguaio.

Com a retirada do aparelho, o espaço aéreo argentino ficará sem controle e a Força Aérea vai ter que utilizar as informações fornecidas pela aviação civil para cumprir as missões de defesa aérea. Sem a vigilância na região, voos ilícitos provenientes do Paraguai poderão chegar ao sul do Brasil utilizando esta rota.
fonte: DefesaNet

PUBLICITÁRIO DE SÃO PAULO É O MILIONÉSIMO PASSAGEIRO DA AZUL

A Azul Linhas Aéreas Brasileiras atingiu hoje pela manhã a marca de 1 milhão de passageiros transportados e o milionésimo cliente foi abordado no balcão do check in no Aeroporto de Viracopos, em Campinas, por volta das 8h30. Aderlei Ferreira, 40 anos, é publicitário, e estava embarcando para Salvador.

Aderlei Ferreira, David Neeleman e Pedro Janot, hoje, no check-in em Viracopos

Era a primeira vez que ele voava com a Azul, justamente para uma viagem a lazer, acompanhando a namorada que tinha compromissos profissionais na capital baiana.

Ferreira ficou sabendo da premiação ainda na fila do check in. A manhã foi animada em Viracopos com banda de música, confetes e muita movimentação. “Quando me disseram que o milionésimo cliente ia viajar de graça por um ano, eu falei: ótimo, pode passar todo mundo, que eu sou o ganhador”, disse Ferreira, com muito bom humor e otimismo.
Para ele, a escolha de voar com a Azul se deu pelo “preço e pela comodidade.” Por ser o milionésimo passageiro, Aderlei Ferreira vai poder voar de graça para todos os destinos servidos pela Azul durante um ano, com direito a acompanhante.

A Azul começou a voar no dia 15 de dezembro do ano passado, inicialmente ligando Campinas a Porto Alegre e Campinas a Salvador, em freqüências diárias, nonstop. Hoje a nova companhia aérea conecta 14 destinos: Campinas, Porto Alegre, Curitiba, Maringá, Navegantes, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Campo Grande, Vitória, Salvador, Recife, Fortaleza, Maceió, Manaus. Com as linhas de ônibus, são 19 as cidades conectadas pela Azul. Hoje a companhia conta com 12 aeronaves, sendo que sete Embraer 190 e cinco, Embraer 195. Até o fim deste ano serão 14 jatos.

“Estamos muito contentes ao atingir 1 milhão de passageiros antes de completar 8 meses de história e queremos fechar o ano com 2 milhões de passageiros transportados”, disse David Neeleman, fundador da Azul Linhas Aéreas Brasileiras.

Fonte: Aviação Brasil - Foto: Divulgação

COLÔMBIA E ESTADOS UNIDOS CONCLUEM NEGOCIAÇÕES SOBRE USO DE BASES MILITARES COLOMBIANAS

O governo colombiano informou nesta sexta-feira que foram concluídas as negociações do acordo militar com os Estados Unidos, que permitirá que unidades norte-americanas utilizem bases em território colombiano com o propósito de combater o narcotráfico.

"Este acordo reafirma o compromisso das duas partes na luta contra o narcotráfico e o terrorismo", afirma um comunicado oficial divulgado na noite de hoje.

Os termos do documento deverão passar por "revisão técnica das instâncias governamentais de cada país para sua posterior assinatura", acrescenta.

A possível presença militar dos EUA em território colombiano, como se prevê nesse acordo, provocou incômodo entre os demais países latino-americanos e motivou uma viagem do presidente colombiano, Álvaro Uribe, pela região com o objetivo de "esclarecer" os termos do documento.

O convênio permitirá que militares americanos usem até sete bases colombianas para operações conjuntas de luta contra o tráfico de drogas as quais eram realizadas anteriormente na base equatoriana de Manta, cuja concessão não foi renovada pelo governo do presidente do Equador, Rafael Correa.

"Presença mínima"

Em entrevista publicada nesta quinta-feira pelo jornal equatoriano "El Comercio", o norte-americano Christopher McMullen, subsecretário adjunto de Estado para Assuntos do Hemisfério Ocidental, afirmou que o convênio com a Colômbia "durará dois ou três anos", após o que a presença americana na Colômbia será "mínima".

Essa é uma das razões, segundo McMullen, pelas quais o país busca assinar acordos militares com a Colômbia. É para ter acesso "em caso de haver uma emergência humanitária, um desastre, mais problemas com as Farc [Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia] ou com outros grupos irregulares", disse.

"Mas, em geral, estamos nos preparando para regularizar nossa assistência", acrescentou ao jornal.

O subsecretário americano explicou que os acordos militares que o país negocia com o Governo colombiano, como o destinado ao uso compartilhado de bases na Colômbia que causou mal-estar e polêmica em nações vizinhas, buscam modernizar convênios "dos anos 50, da Guerra Fria" e atualizar "convênios informais".

Para ele, "houve confusão" na interpretação desses acordos feita por certos líderes da América Latina.

"Não queremos nem temos planos de construir bases na Colômbia. Usamos bases a partir do princípio do Plano Colômbia (contra o tráfico de drogas)", contou.

McMullen explicou que os convênios revisados atualmente se referem às três bases colombianas que os Estados Unidos já utilizaram, apesar de fontes colombianas falarem em até sete.

Para o funcionário americano, que dentro de seu departamento se ocupa do Escritório de Assuntos Andinos e Brasileiros, as opiniões de alguns dirigentes latino-americanos sobre o acordo entre os dois países "parecem uma travessura" e buscam "promover uma ideia que não existe".

Ele destacou que os comentários sobre a possibilidade de uma situação bélica na região "não são responsáveis".

"Desafio para Unasul"

O projeto, contudo, enfrenta críticas. O chanceler argentino, Jorge Taiana, afirmou que encontrar uma saída para o mal-estar em relação às bases militares é o "novo desafio" da União de Nações Sul-americanas (Unasul).

A Unasul "tem vontade política de encontrar uma solução, embora [a organização] ainda esteja muito submissa a condicionamentos internos e a relações ainda frágeis", assinalou o chanceler, em reunião com um grupo de correspondentes estrangeiros.

Taiana evitou falar sobre detalhes da cúpula extraordinária da Unasul, que será realizada na cidade de Bariloche, na Argentina, no dia 28 de agosto, após a polêmica gerada na recente reunião de Quito.

No entanto, considerou que é importante recuperar a capacidade de diálogo entre os membros da Unasul e admitiu que o conflito afeta o Conselho Sul-americano de Defesa, que não tem previsão de nenhuma reunião extraordinária antes da cúpula em Bariloche.

O encontro, que previsivelmente terá uma agenda aberta, permitirá a abordagem de temas como o armamentismo, o tráfico ilegal de armas e o terrorismo, entre outros.

O fornecimento de armamento aos países da zona, segundo Taiana, não é motivo de tensão para a região.

"Não acredito que seja um tema que pode interferir nas relações entre a região, não vejo motivo de tensão", afirmou o chanceler argentino.

Veja onde são as bases que os Estados Unidos poderiam usar na Colômbia


Fonte: UOL Notícias

MATO GROSSO PASSA A TER 3 AVIÕES PARA COMBATER QUEIMADAS

Sinop recebeu, hoje de manhã, três aviões agrícolas modelo Air Tractor para reforçar o combate as queimadas, até o final do período proibitivo (15 de setembro) em todo o Nortão. Os investimentos são de R$ 4,5 milhões, provenientes da Defesa Civil do Estado. É a primeira vez que o Nortão terá um "grupamento aéreo" para combater incêndios.

O comandante do Corpo de Bombeiros em Sinop, major Hector Péricles, explicou que Sinop vai ser a base operacional das aeronaves e o projeto foi elaborado, ano passado, pelo grupo especial de prevenção e combate a incêndio. Ele explicou como serão apagados os grandes focos de queimadas em áreas rurais: "Uma aeronave descarrega a primeira carga de água, vem a segunda e vem a terceira. A primeira que descarregou já está abastecendo e está voltando para o local, para não crescer o fogo de novo", detalhou. Cada aeronave tem capacidade 1, 5 mil litros de água. As aeronaves fizeram voo de demonstração, no aeroporto municipal, local onde funcionará como base.

Os trabalhos de combate a incêndio devem ser coordenados pela Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável bem como Corpo de Bombeiros. As denúncias devem ser feitos pelo fone 0800 647 6900), que funciona 24 horas, bem como pelo número de emergência do bombeiros - 193.

Além de Sinop, há ainda mais duas bases instaladas com aviões agrícolas no intuito de auxiliar no combate de queimadas. Atualmente, conforme Só Notícias já informou, Sinop tem registrado 29 focos de calor na região desde janeiro deste ano. Já no Estado, somente no período proibitivo, já foram registrados pelos satélites do INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - 4.550 focos de calor. Quando contados desde janeiro, os números ultrapassam a 13.5 mil focos.

Fonte: Só Notícias

GOL LIGA AEROPORTO SANTOS DUMONT AO AEROPORTO DE GUARULHOS

A GOL, companhia aérea brasileira de baixo custo, acaba de lançar um voo direto entre o Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, e Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos – Governador André Franco Montoro.

O voo, diário, sai do Santos Dumont às 22h00, chegando a São Paulo às 23h00. Na volta, parte do aeroporto de Guarulhos às 05h30 e aterrissa no Rio de Janeiro às 06h30. A operação é realizada por modernas aeronaves Boeing 737-700 Next Generation.

As passagens estão disponíveis para compra no site da GOL [www.voegol.com.br) ou por meio da Central de Relacionamento com os Clientes, no telefone 0300-115-2121 (custo de ligação local). A tabela abaixo contém mais informações:

Ida:

N° Voo G3 1692
Saída 22h00
Origem Rio de Janeiro (Santos Dumont)
Destino São Paulo(Guarulhos)
Chegada 23h00

Volta:

N° Voo G3 1693
Saída 05h30
Origem São Paulo (Guarulhos)
Destino Rio de Janeiro(Santos Dumont)
Chegada 06h30

Fonte: Portal Fator Brasil

TRIP AMPLIA FREQUÊNCIA DE VOOS ENTRE CAMPINAS E BELO HORIZONTE

A TRIP Linhas Aéreas amplia a partir desta segunda-feira (17/08) a frequência de voos que fazem a ligação entre Campinas (SP) e o Aeroporto da Pampulha em Belo Horizonte (MG). Os passageiros que utilizam essa rota passarão a contar com dois voos diários, um de segunda-feira a domingo e o novo voo partindo de Campinas de domingo a sexta-feira e de Belo Horizonte de segunda a sábado. As operações serão realizadas com o ATR 42, aeronave de 45 lugares.

“O lançamento da nova freqüência tem por objetivo atender às necessidades de passageiros que têm compromissos entre as duas cidades e precisam retornar no mesmo dia. Por isso, criamos uma freqüência em horário mais nobre, com saída de Belo Horizonte para Campinas às 08h15 e retorno às 20h15”, afirma o diretor de vendas e marketing da TRIP, Evaristo Mascarenhas de Paula. O executivo completa que outra novidade para a nova rota é a tarifa promocional a partir de R$ 119,00, por trecho.

A companhia faz a rota Belo Horizonte / Campinas / Belo Horizonte, buscando oferecer sempre qualidade, segurança e excelência em seus serviços. Atualmente, a TRIP interliga a capital mineira com voos diretos para 15 cidades, além de opção de conexões para 58 destinos. Campinas tem ligações diretas com três cidades e interligação com todas as regiões do País.

Fonte: Aviação Brasil

CENTENAS DE VIAJANTES IMPEDIDOS DE VOAR POR UMA GREVE DA KENYA AIRWAYS

Várias centenas de viajantes foram impedidos de voar hoje (sexta-feira) no aeroporto de Nairobi, no Quênia, por uma greve do pessoal da companhia "Kenya Airways " que reclama aumento de salários, constatou um jornalista da AFP.

Pelo menos 19 voos internacionais e internos da companhia previstos para hoje (sexta-feira) de manhã não descolaram, alguns deles foram anulados, explicou sob anonimato um responsável da Kenya Airways.

O sindicato dos trabalhadores da aviação civil queniana apelou os assalariados da companhia à greve para exigir um aumento de 130% dos salários de certas categorias do pessoal.

"É devido (...) Não há nenhuma mudança na Kenya Airways (...) a única linguagem que compreendem, é a greve", declarou à AFP o secretário do sindicato, Jimi Masege, que foi interpelado pela polícia por ter tido uma reunião "ilegal" no recinto do Aeroporto Internacional Jomo Kenyatta.

O patrão da Kenya Airways, Titus Naikuni, avisou quinta-feira à noite que os grevistas estão susceptíveis a uma "acção disciplinar severa".

A Kenya Airways regista há vários anos um forte aumento do seu tráfego de passageiros e abre regularmente novas linhas em África, na Ásia, no Médio Oriente e na Europa.

Esta companhia é socia do grupo "Air France-KLM ", sendo a KLM accionista com 26% da sociedade.

Fonte: Angola Press